Durante o mês de setembro, entre 1º de setembro ao dia 20, segundo dados do Impostômetro da Fecomércio-MT, Mato Grosso arrecadou em impostos cerca de R$ 1,768 bi, durante todo o ano, o montante é de R$ 23,937 bi.

Em Cuiabá, os cidadãos já contribuíram com aproximadamente R$ 41.371 mi, nos primeiros 20 dias do mês, e de janeiro até hoje, R$ 560.012 mi.


Continua depois da publicidade-pix


No Brasil, o Impostômetro registra que neste 9º mês, R$ 130.539 bi, entraram nos cofres públicos, o valor de 1ª janeiro até o dia 20 de setembro, às 16h30 é de R$ 1.766 trilhão.

O Imposto é um tributo obrigatório cobrado pelo governo na esfera federal, estadual e municipal para custear as despesas administrativas nas areas de infraestrutura, saúde, educação e segurança.  O não pagamento pode gerar multas e até punição legal.

-Continua depois da publicidade ©-

De acordo com informações da revista Exame, o Brasil está entre países que menos cobram impostos sobre renda.

Quem recebe altos salários no Brasil paga, em média, 32% menos impostos do que pessoas de alta renda em países que compõem o G-7 (grupo das nações mais industrializados do mundo, composto por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido) e 31% menos que a média de pessoas nas mesmas condições na União Europeia.

Os dados são da UHY International, rede de empresas de auditoria e contabilidade que fez um estudo com 30 países, comparando os impostos aplicados a faixas salariais anuais de US$ 250 mil e US$ 1,5 milhão.





-Patrocinador-