No último sábado (14), alunos, professores e pais participaram da entrega da premiação do 2º Festival Escolar de Teatro Ecológico, o Festeco. O evento é realizado pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto – Saae de Lucas do Rio Verde, coordenado pela Cia de Teatro Cena 1 e conta com a parceria da Secretaria Municipal de Educação e apoio das demais secretarias, como Cultura e Agricultura e Meio Ambiente.

O Festival usa as artes cênicas para transmitir a mensagem de conscientização, fomentando a produção cultural e artística no ambiente escolar e a sensibilização dos indivíduos quanto a responsabilidade de todos na busca do equilíbrio entre os seres humanos e o meio ambiente.


Continua depois da publicidade-pix


Para o diretor do Saae, João Pagotto, o Festeco tem um papel importante no trabalho de conscientização ambiental. “As crianças tiveram a oportunidade de visitar o Ecoponto e conhecer como é feita a separação do lixo pelas famílias que trabalham lá e vivem da reciclagem. Tenho certeza que com o Festeco, as crianças aprenderam muito sobre a separação dos resíduos sólidos, o que é reciclável e o que é orgânico, todas as peças teatrais mostraram esse aprendizado. Para o próximo ano já estamos planejando ampliar o festival, queremos que mais escolas participem, e assim, mais crianças sejam as mensageiras sobre a importância da separação correta do lixo para a preservação do meio ambiente”.

Nesta edição, participaram do festival as escolas Angelo Nadin, São Cristóvão, Márcio Schabatt, Escola Militar Tiradentes, Piaget, Dom Bosco, Eça de Queirós, Érico Veríssimo, Menino Deus e Luiz Carlos Ceconello, com 11 apresentações.

-Continua depois da publicidade ©-

O ator Ilson de Oliveira, do Ponto de Cultura Em Cena Escola de Palhaço de Mato Grosso, ressaltou que através da arte é possível levar uma mensagem de conscientização para as crianças e para os pais. “Através do teatro a gente mostra o certo e o errado, onde está o erro e como consertar. A melhor forma de ensinar é representar, mostrar esse drama, mostrar a consequência que gera na sociedade a problemática do lixo, e nada melhor do que mostrar isso com a interpretação, com uma linguagem fácil”.

O estudante da Escola Municipal Érico Veríssimo, Ludovico de Aguiar, relatou que foram feitos vários projetos na escola sobre o meio ambiente. “Com o teatro eu aprendi várias coisas, entre elas, a separação do lixo, e quanto que vai para o aterro sanitário. Se as pessoas não separam o lixo corretamente a cidade fica poluída e as pessoas que trabalham no Ecoponto que dependem desse trabalho acabam ganhando muito pouco, porque as coisas recicláveis vão para o lugar errado”.

O festival foi dividido em duas categorias: infantojuvenil (7 a 10 anos) e juvenil (11 a 15 anos). Os espetáculos foram avaliados pelos quesitos: temática, processo de criação, processo pedagógico, espetáculo cênico, trabalho dos atores, diretores de espetáculo e textos.

Foram premiados os três melhores espetáculos em cada categoria. Sendo a premiação para o 1º lugar: R$ 1.500,00; 2º lugar: 1.000,00; e 3º lugar: R$ 500,00. A melhor torcida também será premiada com R$ 300,00. Também foram premiados com troféu melhor ator, melhor ator coadjuvante, melhor atriz, melhor atriz coadjuvante, melhor cenário, melhor direção, melhor iluminação, melhor sonoplastia e melhor torcida.

Confira:

Infantojuvenil

Melhor espetáculo

1º lugar: Érico Veríssimo (Contos de fadas em defesa do Meio Ambiente)

2º lugar: São Cristóvão (Planeta pede socorro)

3º lugar: Eça de Queirós (Lixolândia)

Direção do espetáculo

Érico Veríssimo

Cenário

Menino Deus

Iluminação

Menino Deus

Sonoplastia

Menino Deus

Melhor ator

Kauan (Contos de Fadas em Defesa com o Meio Ambiente

Melhor ator coadjuvante

Maurício (A missão de Flora)

Melhor atriz

Ruthyele (Contos de Fadas)

Melhor atriz coadjuvante

Gabriela (Contos de Fadas)

Melhor torcida

São Cristóvão

 

Juvenil

Melhor espetáculo

1º lugar: Márcio Schabatt (A flor que nasceu fora do chão)

2º lugar: Angelo Nadin (As três porquinhas e o lobo mau)

3º lugar: Escola Piaget (O catador de papel)

Direção do espetáculo

Márcio Schabatt

Cenário

Márcio Schabatt

Iluminação

Escola Piaget

Sonoplastia

Escola Piaget

Melhor ator

Artur Amorin (A flor que nasceu fora do chão)

Melhor ator coadjuvante

Gabriel (As três porquinhas e o lobo mau)

Melhor atriz

Elizandra Borges (A flor que nasceu fora do chão)

Melhor atriz coadjuvante

Kassandra (Aprender a amar, cuidar e preservar)

Melhor torcida

Angelo Nadin





-Patrocinador-