Estudante é preso após divulgar vídeo de sexo com bebê, mensagens racistas e nazistas em redes sociais

Agentes acharam no celular do rapaz uma gravação de sexo envolvendo um bebê. Ação das polícias de Goiás e de Santa Catarina resultou na prisão dele em Rio Verde.

0
Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um estudante de 18 anos foi preso na terça-feira (10) suspeito de divulgar vídeo com pornografia infantil, mensagens racistas e nazistas em redes sociais, em Rio Verde, no sudoeste de Goiás. No celular dele foram encontrados um vídeo com cena de sexo envolvendo um bebê e imagens ofendendo negros. Em depoimento à polícia, o rapaz disse que recebeu os materiais por mensagem e não sabia que estavam guardadas no aparelho.

O jovem, que não teve a identidade divulgada, foi preso após uma investigação que começou pela Polícia Civil de Santa Catarina, que pediu que fosse cumprido um mandado de busca e apreensão na casa dele.


Continua depois da publicidade

“As investigações se iniciaram pelo fato de ele divulgar material de pedofilia e racismo em redes sociais e incitar tais condutas”, disse Carlos Roberto Batista, delegado em Rio Verde.

Quando os agentes chegaram ao local, o estudante excluiu o aplicativo de mensagem rapidamente. “Mas, na memória, foi encontrado um vídeo com conteúdo sexual envolvendo um bebê, imagens elogiando Hitler, ofendendo negros, incentivando o racismo”, completou.

Em uma das imagens encontrada, o rapaz colocou a suástica sobre uma foto dele. O celular ainda será periciado para saber se existem mais arquivos escondidos. Como foi preso em flagrante, o jovem ainda vai passar por uma audiência de custódia nesta quarta-feira (11) para determinar se ele continuará preso ou vai responder em liberdade.

-Continua depois da publicidade ©-

O jovem vai responder por armazenar material pornográfico envolvendo crianças e por veicular símbolos ou emblemas que usem a suástica para divulgação do nazismo.





-Patrocinador-