Governo corta 34% da verba de para combater incêndios em 2020

Mesmo com crise na Amazônia valores caíram de R$ 45,5 milhões para R$ 29,6 milhões

0
Incêndio fora de controle queima área da Chapada dos Guimarães

Apesar da crise deflagrada pelas queimadas na Amazônia, ameaçada de devastação pela política ambiental irresponsável de Jair Bolsonaro e seu ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, as verbas orçamentárias para a prevenção e o controle de incêndios florestais sofrerão um corte de 34% em 2020 comparando-se com o ano em curso

No mês de agosto, as queimadas devastam área 300% maior do que em 2018. A destruição da floresta já supera total registrado no ano passado inteiro


-Continua depois da publicidade ©-

Segundo reportagem publicada no site O globo, o Orçamento do governo federal para 2020 prevê uma queda de cerca 10% na provisão de recursos para o Ministério do Meio Ambiente(MMA), na comparação com a proposta apresentada em 2018 para o orçamento deste ano. Serão R$ 561 milhões ante R$ 625 milhões autorizados anteriormente. Mesmo em meio à crise deflagrada pelas queimadas na Amazônia , o corte nos gastos direcionados à prevenção e ao controle de incêndios florestais fez os valores caírem de R$ 45,5 milhões para R$ 29,6 milhões — uma baixa de 34% nos recursos previstos de um ano a outro.

De acordo com a publicação, a previsão de aperto na verba destinada ao combate das queimadas se soma a uma restrição orçamentária imposta já em 2019. O MMA contingenciou 29,6% do orçamento deste ano voltado ao tema: dos R$ 45,5 milhões previstos, R$ 13,5 milhões estão congelados, sem possibilidade de uso. O dinheiro serve para contratar brigadistas, alugar aeronaves, veículos e equipamentos, além de pagar as diárias dos combatentes, entre outras ações.


Na avaliação de servidores do Ibama ouvidos pelo GLOBO em condição de anonimato, a previsão de um valor ainda menor para o tema põe em risco a capacidade do órgão de prevenir novas ondas de incêndios.


--Continua depois da publicidade ©--

— Com R$ 29 milhões previstos, o valor a ser executado no decorrer do ano será menor ainda, porque sempre há contingenciamento. Isso agrava a situação, e coloca em risco o cronograma de medidas preventivas, que são as campanhas de comunicação e educação ambiental em municípios mais vulneráveis aos incêndios — diz um servidor.

Para tentar sensibilizar nossos representantes, o Congresso convocará o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles para explicar sobre o crescimento do desmatamento no Brasil.

Somente no Mato Grosso, uma área de 6.540 hectares dentro do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães foi destruída pelo fogo, de acordo com informações do Corpo de Bombeiros, divulgadas na segunda-feira. Outros 400 hectares de uma Área de Preservação Ambiental (APA) também foram devastados pelas chamas. Este é o segundo incêndio que atinge o Parque Nacional de Chapada dos Guimarães, neste ano. O bioma Cerrado já registrou 28 mil focos de calor desde janeiro, o que corresponde a 30% das queimadas no brasil.


Para ler mais notícias sobre o Mato Grosso, clique Aqui. Siga também o CenárioMT no Twitter e no Facebook.