Quem vai ficar com Cuéllar? Hilal e Bologna fazem disputa; Flamengo joga com o tempo para mantê-lo

0
Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

“Quem vai ficar com Cuéllar?”. Em uma janela onde protagonizou novelas para contratar reforços, o Flamengo vê se arrastar com direito a nome de filme a definição sobre a saída do volante colombiano. Curiosamente, quanto mais demorar, maior será a chance de um final feliz para o Rubro-Negro no cabo de guerra com Al Hilal, da Arábia Saudita, e Bologna, da Itália.

Entender o imbróglio não é fácil. Então, vamos por partes: há uma semana, clube e jogador aceitaram a oferta saudita de 7,5 milhões de euros (cerca de R$ 35 milhões) e iniciaram as conversas com o Deportivo Cali, detentor de 30% dos direitos econômicos, para concluir o negócio. A esta altura, era questão de tempo o adeus.


Continua depois da publicidade

Acerto feito com o clube colombiano (que aceitou reduzir quase pela metade o montante que tem direito em favor do desfecho da transação), as partes se prepararam para troca de papéis, quando Gustavo Cuéllar soube do interesse italiano. Em contato com o Flamengo, pediu que aguardasse a oficialização da proposta do Bologna e negociasse. Desde então, deu-se início a uma disputa.

As ofertas são similares: na casa dos 7.5 milhões de euros e com quatro anos de contrato para Cuéllar. Os valores do Bologna são menores para o jogador, dependem de gatilhos que acionam bônus por performance, mas o fator Europa é um equilibrador nesta balança. O volante colombiano ainda não bateu o martelo de qual sua preferência, mas deixou claro para o Flamengo que gostou das duas propostas.

-Continua depois da publicidade ©-

Diante do cenário, o Rubro-Negro colocou o pé no freio e não tem pressa para definir a situação. Internamente, há uma percepção de que o clube precipitou-se ao dar o “ok” ao Al Hilal e a tentativa de desfazer este cenário é testar a paciência de sauditas e italianos. Enquanto Cuéllar não se posiciona sobre para onde quer ir, o Flamengo deixa o tempo passar e faz ajustes nas tratativas com o Bologna (com o Al Hilal já está tudo certo, desde que o atleta bata o martelo).

A janela de transferências na Arábia Saudita se encerra no dia 31 de agosto, na Itália dois dias depois, e as cartas seguem na mesa. O Flamengo sabe que não é mais uma situação apenas de firmar o pé e dizer que não vai vender, pois já há uma sinalização positiva de negociação ao jogador. O trevo que se faz na cabeça de Cuéllar, por sua vez, dá tempo para o clube respirar.

Enquanto nada é definido, o colombiano está à disposição de Jorge Jesus para a partida contra o Inter, quarta-feira, às 21h30 (de Brasília), no Maracanã, pelas quartas de final da Libertadores.





-Patrocinador-