Piloto que sobreviveu a queda de avião em MT volta para casa em RO após 8 meses em tratamento

0
Foto: Arquivo pessoal

O piloto Marcelo Balestrin voltou para a casa da família, em Pimenta Bueno (RO), após oito meses de tratamento em Cuiabá. O comandante ficou quatro dias perdido, após o avião cair, na Serra do Mangaval, em Cáceres, a 220 km de Cuiabá, em dezembro do ano passado.

Ele estava acompanhado do piloto John Cleiton Venera. Na época, saíram e Pimenta Bueno com destino a Cuiabá, mas antes que chegasse ao destino, os órgãos de controle perderam o sinal da aeronave.

Os pilotos foram resgatados quatro dias depois, após um morador da região avisar às equipes de buscas o local onde o avião poderia ter caído.

Eles foram resgatados com ferimentos e muito debilitados, mas estavam conscientes. Tiveram fraturas nas pernas, braços e escoriações pelo corpo.

Durante todo o tratamento, Marcelo passou quatro cirurgias no cotovelo direito, uma no calcanhar direito e outra no tornozelo esquerdo.

De acordo com a mulher do comandante, Francismara Souza, o estado de saúde dele é estável. Entretanto, ele terá que voltar a Cuiabá a cada 15 dias para continuar o tratamento.

“Depois do susto, vivemos o alívio. O Marcelo está se recuperando bem e, agora, em casa, tudo fica melhor”, disse ela.

O desaparecimento

O avião de pequeno porte, prefixo PT-ICN, onde os pilotos estavam, decolou da cidade de Pimenta Bueno (RO) com destino a Cuiabá, mas não chegou ao seu destino final e perdeu o contato com os órgãos de controle a aproximadamente 120 km da capital mato-grossense.

Como não chegaram ao destino, a própria empresa fez sobrevoos na região, mas não conseguiu localizá-los.

Os órgãos de segurança começaram as buscas no sábado 1º de dezembro do ano passado. Um helicóptero do Centro Integrado de Opeações Aéreas (Ciopaer), da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) também participou das buscas.