Mais de 60 pilotos agrícolas aprendem técnicas de combate a incêndios florestais com bombeiros militares em MT

0
Foto: Corpo de Bombeiros

Uma palestra no Aeroporto Regional de Sorriso, a 428 km de Cuiabá, para orientar pilotos de aviões agrícolas a apagar incêndios nesta quarta-feira (14). Com o tema “O emprego de Aeronaves nas Operações Aéreas de Combate a Incêndios Florestais/Rurais”, o evento reuniu 61 pilotos agrícolas da região Norte e foi organizado pelo Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso (CBMMT), por meio do Grupo de Aviação Bombeiro Militar (GAvBM), em parceria com o Sindicato Rural de Sorriso.

A proposta foi nivelar conhecimento e integrar o Corpo de Bombeiros Militar e os profissionais de aviação agrícola, a fim de fortalecer parcerias para apagar incêndios florestais.

--
-Continua depois da publicidade ©-
--

O tenente-coronel BM Flávio Gledson Vieira Bezerra, piloto comandante das aeronaves tipo Air Tractor, falou sobre os procedimentos operacionais e de segurança, bem como as táticas de empregos de aeronaves nas operações.

Os pilotos agrícolas ficaram interessados na experiência prática adquirida para ajudar nas operações aéreas de combate aos incêndios florestais.


-Continua depois da publicidade ©-

Tiago Stefanello Nogueira, presidente do Sindicato Rural de Sorriso, falou sobre a importância de estimular e discutir assuntos dessa natureza, considerando que o Corpo de Bombeiros Militar possui como prioridade as áreas de conservação em suas ações.

O piloto agrícola Antonio Carlos da Silva, que há 20 anos exerce esta profissão, participou da palestra com o objetivo de aprender com os pilotos da região para que estejam aptos a agir em casos de incêndios nas lavouras.

‘’Já ajudei a combater incêndios com a aeronave em lavouras de milho. Em 2006 participei do primeiro curso no combate a incêndios realizado no país que foi na USP (Universidade de São Paulo). Desde então, esse trabalho começou a ser divulgado, até porque o Brasil não tinha esse tipo de operação. É importante esta iniciativa, pois cada fazenda tem sua base, com água e uma boa pista, a partir desta base montada é possível combater incêndios nas proximidades, tornando a ação mais rápida e mais fácil,’’ disse o piloto.