MTI apoia primeiro evento de blockchain de Mato Grosso

Tecnologia Blockchain vai mudar a realidade de setores como o direito, o agronegócio e a indústria.

0

A Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI) está apoiando a realização do primeiro evento sobre a tecnologia blockchain de Mato Grosso: o Blockmeet MT. O evento será realizado em 22 de agosto, no Centro de Convenções da Fatec/Senai, e contará com palestras, painéis, cases  de empresas que já estão adotando esta tecnologia.

As inscrições podem ser feitas no site do evento e podem participar todos os interessados em entender como essa tecnologia é capaz de revolucionar o campo da economia, entre outros.

--
-Continua depois da publicidade ©-
--

De acordo com o assessor executivo da MTI, Sandro Brandão, o blockchain já é uma realidade que causa uma revolução na maneira com que as informações se movimentam e se relacionam na internet – e pode muito bem ser utilizado pela administração pública.

“Por suas características de autenticidade, integridade e rastreabilidade, o blockchain pode ser usado em diversos áreas, especialmente no Governo, como em cuidados de saúde, verificação de identidade, históricos escolares e diplomas, registros de automóveis e imóveis. Por exemplo, temos um dos sistemas financeiro e contábil mais completo do Brasil, que é o Fiplan, e essa plataforma de blockchain será fundamental para a evolução desta nossa solução”, disse.


-Continua depois da publicidade ©-

O blockchain é uma forma de salvar e armazenar dados e sua principal característica é a segurança. Isto porque as informações que são inseridas nele são criptografadas, distribuídas para vários servidores ao redor do mundo e seria preciso um esforço computacional gigante para alterar algum dado.

Parece algo simples, segundo Rafael Martins, CEO do Blockmeet MT. No entanto, esse super banco de dados vai provocar mudanças em setores como o agronegócio, quando o assunto é rastreabilidade de alimentos; no campo do direito, quando se fala em contratos inteligentes e ambiente regulatório tecnológico; e na indústria, promovendo a inteligência artificial.

“No caso da segurança alimentar, por exemplo, o consumidor quer saber onde aquele frango foi produzido, o dia do abate, como foi feito o processamento, como aconteceu a logística. Essas informações só chegarão à mão de quem está comprando se toda a cadeia produtiva fizer o uso do blockchain”, explica Rafael Martins.

Ainda segundo o CEO, já existe uma demanda desses mercados para o uso dessas tecnologias. O próximo passo é a implementação, que só será possível se toda a cadeia fizer parte do processo.

“A ideia do Blockmeet MT é justamente trazer informação, discutir essas novas tecnologias na nossa realidade, para que as empresas, os líderes, os empreendedores e os estudantes de Mato Grosso estejam preparados para as novidades do mercado”, conclui Rafael.

Além da MTI, o evento conta com o apoio institucional do Senai, Sebrae, Senar, Embrapa e Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secitec). Para saber mais sobre o evento acesse aqui.

(Com informações da assessoria do evento)