Funcionários são presos suspeitos de desviarem R$ 2 milhões de grupo empresarial em MT

Suspeitos alteravam valores na folha de pagamento. Eles teriam confessado o crime, segundo o delegado.

0
Daniel Isaia/Agência Brasil

Três funcionários, acusados de desviar aproximadamente R$ 2 milhões de um grupo empresarial foram presos em flagrante pela Polícia Civil, na sexta-feira (09.09), após serem identificados em investigações da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) Cuiabá.

Os suspeitos, funcionários das empresas que tiveram ajuda da secretaria pessoal do dono do grupo empresarial, foram autuados em flagrante pelos crimes de estelionato e associação criminosa.

As investigações iniciaram quando a Derf foi procurada por representantes do grupo de 7 empresas, que desconfiavam do desvio de dinheiro por parte de alguns funcionários. Em parceria com as informações passadas pelo grupo, foi identificado uma transferência fraudulenta da contra de uma das empresas para um dos funcionários.

Segundo as investigações, dois deles que eram responsáveis pela folha de pagamento do grupo, induziam os diretores a erro, apresentando planilhas de folha de pagamentos falsas para aprovação. Após aprovados os pagamentos, os suspeitos alteravam a conta-corrente beneficiária de alguns depósitos para a conta deles.

A suspeita que é ex-funcionária das empresas e atualmente trabalhava como secretaria pessoal do dono de todo grupo, sabia de todo esquema e passava informações para seus comparsas, recebendo quantias em dinheiro, oriundas dos desvios.

Com base nas investigações, os policiais da Derf Cuiabá realizar a prisão em flagrante do trio logo após obterem a vantagem ilícita, através de uma transferência para a conta de um deles. Os suspeitos foram detidos em seus locais de trabalho e conduzidos a Derf, onde interrogados confessaram o crime.



Segundo o delegado responsável pelas investigações, Eduardo Rizzoto de Carvalho, os primeiros levantamentos apontam que o trio teria desviado aproximadamente R$ 2 milhões do grupo. “A média mensal de desvios era de R$ 50 mil, porém, em dezembro de 2018, aproveitando o período de pagamento de 13º salário, os suspeitos desviaram mais de R$100 mil”, disse o delegado.

Diante das evidências, os suspeitos foram autuados em flagrante pelos crimes de estelionato e associação criminosa e apresentados na audiência de custódia da Capital no sábado (10).