A Polícia Judiciária Civil de Lucas do Rio Verde-MT recuperou um veículo GM Prisma, ano 2019, que pertence a uma locadora em São Paulo, e que foi vendido por terceiros a um cidadão luverdense.

--
-Continua depois da publicidade ©-
--

O carro foi locado no dia 20 de abril da empresa Unidas S.A e o locatário deveria devolver o carro no dia 23 do mesmo mês, o que não aconteceu.

De acordo com o investigador Wlademir Mesquita, o carro foi vendido por uma garagem (já investigada por receptar carros furtados) a um cidadão, que por sua vez, revendeu o carro à outra pessoa.


-Continua depois da publicidade ©-

A vítima comprou o carro pelo valor de R$ 35 mil e o revendedor (terceiro) ficou de passar a documentação do veículo em 20 dias, após a negociação.

“Esses vinte dias se passaram e a pessoa que revendeu carro não passou a documentação ao comprador. Diante disso, a pessoa que comprou, optou por devolver o veículo e tentar recupera o dinheiro, pois achou muito estranha a situação”, disse Mesquita.

O suspeito de ter comercializado o carro indevidamente disse que não devolveria o valor, pois já havia passado a outra pessoa que mora em Tangará da Serra-MT.

A vítima então devolveu o carro ao cidadão, que reside no bairro Ipê Amarelo (Lucas do Rio Verde) e depois procurou a delegacia judiciária civil.

“Fizemos uma checagem no veículo e tivemos o conhecimento que esse carro pertence a uma locadora de São Paulo. A pessoa que veio fazer o boletim de ocorrência, ela não estava mais em poder do carro, mas tinha informações sobre esse veículo”, acrescentou.

Diante das suspeitas, a polícia foi até a residência do homem que havia vendido o carro. “O veículo em questão estava na garagem sem as placas de identificação, e quando a pessoa saiu, os investigadores abordou o cidadão e o encaminhou até a delegacia, onde foi confirmada a informação do que o veículo era realmente de uma locadora de São Paulo-SP”.

Em depoimento o investigado confirmou a negociação feita com a vítima e falou que comprou o carro, anteriormente, de uma garagem, que segundo a polícia foi investigada alguns meses por suposta receptação de veículos em situações similares.

A polícia orienta ao cidadão de bem, que antes de adquirir um carro, que faça a averiguação correta da documentação e a origem do mesmo. Em caso de dúvidas, basta procurar um despachante de confiança, a sede do Ciretran ou até mesmo a polícia.