‘Chegada do trem à baixada cuiabana já é uma perspectiva concreta’, afirma deputado

Audiência pública nesta segunda-feira (8/7), na sede da Fiemt discutirá o impacto econômico e social da extensão da linha e implantação de um terminal ferroviário

0

A expansão da ferrovia de Rondonópolis a Cuiabá está deixando de ser uma possibilidade e se tornando uma perspectiva concreta. Durante a visita ao terminal rodoferroviário de Rondonópolis ontem (4/7), o deputado Carlos Avallone (PSDB), o senador Wellington Fagundes (PL), empresários, dirigentes da indústria, lideranças comunitárias e formadores de opinião ouviram da diretoria da Rumo Logística a confirmação da notícia esperada por toda a sociedade mato-grossense: a concessionária está determinada a investir aproximadamente R$ 4 bilhões na extensão da linha férrea e na construção de um grande terminal para contêineres na Grande Cuiabá.

O deputado Carlos Avallone, organizador da visita , destacou que finalmente o sonho de trazer a ferrovia Vicente Vuolo a Cuiabá está prestes a ser concretizado. “A antiga tese de que Cuiabá não tem grão, não tem carga, já foi derrubada. Estudos confirmam que existe na Grande Cuiabá uma demanda da ordem de 20 milhões de toneladas/ano para o transporte de produtos industrializados, medicamentos, combustíveis, bebidas, etc, procedentes da região Sudeste. Se tem carga de retorno, passa a ser importante para a economia local e para a própria Rumo. A concessionária já fala de Cuiabá com muita naturalidade, como uma perspectiva concreta com cinco trajetos em estudo para trazer o trem à Baixada Cuiabana e posteriormente à Sorriso” disse ele.


Continua depois da publicidade-pix


A visita teve como objetivo permitir o conhecimento da logística do modal e dos impactos positivos na economia do município. “Queremos que a Baixada Cuiabana seja contemplada com um terminal igual ou parecido com o de Rondonópolis, que impactou positivamente o mercado local gerando mais de quatro mil empregos diretos e diversas oportunidades de prestação de serviços“ ressalta o deputado.

O coordenador do Fórum Pró-ferrovia, Francisco Vuolo, disse que a união de esforços da bancada estadual e federal, do empresariado e da sociedade organizada, aproxima a concretização do sonho de seu pai, o senador Vicente Vuolo, e de toda a comunidade cuiabana: a ferrovia em Cuiabá. “Foi a união da classe política e empresarial que trouxe os trilhos até Rondonópolis e da mesma forma continuaremos unidos para trazer o trem até a Capital e posteriormente ao Nortão”, resumiu Vuolo.

-Continua depois da publicidade ©-

Audiência Pública

Nesta segunda-feira (8/7), acontece às 14 h na sede da Fiemt em Cuiabá uma audiência pública conjunta entre a Assembleia Legislativa e o Senado Federal para discutir a o impacto econômico e social da construção de um terminal na Baixada Cuiabana. O senador Wellington Fagundes (PL), informou que está trabalhando com a bancada federal para a prorrogação da concessão da malha ferroviária paulista. Esta providência é indispensável para que a Rumo faça os investimentos de expansão em Mato Grosso.

“Já temos a presença confirmada da Agência Nacional de Transportes Terrestres, Ministério da Infraestrutura e do Tribunal de Contas da União. “Cada audiência pública é uma oportunidade de fazer com que Brasília conheça mais Mato Grosso e tenha mais agilidade na apreciação desses processos. Queremos integrar todos os modais em Mato Grosso, rodoviário, ferroviário e hidroviário, para diminuir o custo e gerar mais empregos”, disse o senador.
O contrato de concessão da malha paulista vencerá em 2028, mas a empresa já protocolou pedido de renovação por mais 30 anos. O processo já passou por análise da ANTT e Ministério da Infraestrutura e tramita no TCU, última etapa para aprovação.

Crescimento

Durante a visita ao terminal de Rondonópolis, o maior da América Latina, o diretor de assuntos Regulatórios e Institucionais da concessionária, Guilherme Penin, afirmou que o volume de cargas movimentadas ali aumentou 65% desde que a Rumo assumiu a operação da ferrovia, há quatro anos.“Temos uma responsabilidade muito grande na movimentação da grande produção do agronegócio brasileiro. Isso é muito importante para Mato Grosso e para o Brasil num momento de crise financeira em que as exportações são a grande propulsora da economia nacional. Por isso é importante continuar investindo e expandindo a linha para Cuiabá e para a região Norte”, disse.

Emanoel Tavares, executivo de Relações Governamentais da Rumo, disse que a empresa vai conseguir fazer a expansão para Cuiabá e o norte de Mato Grosso, captando mais carga, viabilizando mais transporte da produção de grãos e atendendo as demandas crescentes do mercado interno de contêineres em Mato Grosso e no país.





-Patrocinador-