Junho foi marcado pela espera da entrada efetiva de algodão da nova safra 2018/19 no spot. Agentes de indústrias consultados pelo Cepea aguardaram maior oferta nos próximos meses e, consequentemente, preços menores. Nesse cenário, as compras no spot envolveram pequenos volumes, no intuito de atender à necessidade imediata.

Vendedores, por sua vez, estiveram flexíveis nos preços pedidos, mas compradores ofertam valores ainda menores. Cotonicultores consultados pelo Cepea também estiveram atentos às atividades no campo e ao desenvolvimento das lavouras.

--
-Continua depois da publicidade ©-
--

Apesar do ritmo lento de colheita ao longo do mês, assim como beneficiamento, produtores alegam estar com boa parte da produção comprometida em contratos. Assim, entre 31 de maio e 28 de junho, o Indicador do algodão em pluma CEPEA/ESALQ, com pagamento em 8 dias, caiu 5,45% e, no acumulado ano (de 28 de dezembro a 1º de julho), a baixa é de 11,11%.