Uma pequena grande cidade no centro-norte de Mato Grosso. Prestes a completar 31 anos de emancipação político-administrativa, Lucas do Rio Verde traz na sua história grandes conquistas e títulos. Capital da Agroindústria, qualidade vida elevada, uma educação que é exemplo e saúde de tirar o chapéu.

Quem vê tanto sucesso em tão pouco tempo, não imagina que o início desta cidade foi difícil. Foi necessário muito trabalho e esperança, a falta de comunicação, de energia elétrica e o isolamento dificultaram bastante a vida de quem veio para cá em busca de um sonho. Muitos dos que vieram, desistiram, mas os que ficaram lutaram com todas as forças para que essa região se desenvolvesse.

Assim como eu, muitos pioneiros tiveram que buscar ajuda para investir e desbravar estas terras. Da mesma forma, o município necessita de investimentos para crescer.

Para atrair coisas novas e melhorar o que já existe é preciso ter capacidade de investimento, é preciso ter bom nome na praça, é preciso crédito. Como empresário e agricultor sei bem das dificuldades e as conquistas que poderão vir quando se investe bem o dinheiro.

Nos últimos dias está em discussão em toda cidade um projeto de lei de iniciativa do Executivo municipal que pretende economizar mais de R$ 90 milhões de reais na universalização do sistema de esgoto.

O projeto original de universalização custaria cerca de R$ 120 milhões, para o esgoto em toda a cidade. Mas o município propôs um projeto gradual, que a partir do aumento da arrecadação nos bairros iniciais, abre a possibilidade de custear o restante das obras e atender aos outros bairros, gastando menos de R$ 30 milhões.

Mas esse não é o principal ponto. O que a população precisa questionar é quanto custa um paciente na saúde? Quanto entra no município com uma nova empresa atraída pela infraestrutura? Quanto vale a valorização dos imóveis e da cidade? O quanto a elevada qualidade tem vida tem o poder de atrair investimentos?
O projeto ainda contempla uma escola e ônibus escolares. Qual o valor e o retorno de crianças bem-educadas? Quanto vale a segurança de nossas crianças? Quanto o município economizará em manutenção?

Essa linha de financiamento é recente e não ficará disponível por muito tempo. Lucas do Rio Verde não pode perder as oportunidades de crescimento, não pode deixar passar as chances de alavancar seu progresso. Outros municípios do estado também estão buscando os mesmos recursos, como Sinop, Sorriso, Cláudia, Nova Mutum, Campo Novo do Parecis, Tangará da Serra e Rondonópolis.

A atual situação financeira do Estado e do país fez reduzir radicalmente os repasses para os municípios. E quando faltam recursos vindos dos outros entes da federação, é preciso encontrar novos caminhos, sempre com a preocupação de manter Lucas do Rio Verde uma cidade exemplo, em desenvolvimento e preocupada com a qualidade de vida dos moradores.

Há a necessidade de o município buscar alternativas de investimentos para continuar atendendo com eficiência todas as pessoas e, principalmente, para continuar atraindo grandes empreendimentos, gerando renda, emprego e desenvolvimento da cidade.

E o financiamento, da forma como está sendo feito, com planejamento e pensando na liquidez, será um bom caminho para encontrar o equilíbrio nesta balança. É preciso investir para crescer.

Carlos Simon é empresário e agricultor em Lucas do Rio Verde