Fiscalização do CRO-MT já flagrou acadêmico atendendo em consultório, diz presidente

0
Foto: Divulgação

As fiscalizações do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso (CRO-MT) já flagraram acadêmicos do curso de odontologia atendendo paciente, segundo o presidente da instituição, Sandro Stefanini.

“Temos encontrado de tudo, diplomas falsos, acadêmico atendendo, pessoas que não têm o preparo, a graduação para atender a população da maneira correta e, ainda por cima, causando danos maiores. O paciente chega lá para o tratamento e acaba levando de brinde uma doença que não tinha”, afirmou.

--
-Continua depois da publicidade ©-
--

Além das irregularidades dos profissionais, a instituição também observa as questões sanitárias das clínicas com falsos profissionais.

“O custo para se ter um ambiente correto é alto. Não conseguimos montar um consultório adequadamente com menos de R$ 50 mil. E, se você chega em um lugar que não há uma condição sanitária visivelmente adequada, há de se desconfiar”, explicou.


-Continua depois da publicidade ©-

Entre as irregularidades já encontradas estão falta de equipamentos para esterilização e gases com sangue sem o devido descarte.

Fechamento de clínicas

No mês passado, duas clínicas de odontologia que funcionavam sem alvará e com dentistas sem diplomas em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, foram fechadas.

Os dois estabelecimentos funcionavam um de frente para o outro, no Bairro Água Vermelha.

Segundo o CRO, os supostos profissionais foram levados para a delegacia.

Em uma das clínicas a situação sanitária foi considerada precária, segundo o CRO. O responsável pelo local afirmou ser cirurgião-dentista, mas não apresentou nenhum diploma para comprovar a informação.