Dois cunhados investigados em crime de homicídio foram presos na manhã desta quinta-feira (06), pela Polícia Civil, na operação “Badeco”, da Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP). Os suspeitos são apontados na autoria do assassinato de um rapaz de 25 anos, que teve o corpo encontrado na tarde do dia 22 de janeiro de 2019, boiando em uma lagoa na região de Chácaras no bairro Nova Esperança II, com as pernas, braços, mãos e joelhos amarrados e pedras nos bolsos, além de uma pedra presa na cabeça.

Em cumprimento de mandados de prisão temporária (30 dias) dois suspeitos foram presos, um deles no bairro Jardim Industriário, e o outro no bairro Jardim Presidente I, em Cuiabá. Ambos tiveram mandados de prisão cumpridos pela DHPP, nas investigações presididas pela delegada Jannira Laranjeira e equipe policial.

Residências onde moram outras duas pessoas, um deles menor de idade à época dos fatos, e o segundo também adolescente, tiveram buscas e apreensão realizadas, sendo apreendidos aparelhos celulares que serão encaminhados à perícia para análise e laudo, a fim de auxiliar nas investigações.

No dia 19 de janeiro (sábado), a vítima havia participado de uma festa surpresa, em comemoração ao aniversário de sua prima, que tinha sido preparada na casa da amiga da aniversariante, no  Bairro Jardim Industriário II, em Cuiabá. Nessa festa, a vítima teria furtado o aparelho celular de um rapaz menor de idade, saído do local e depois retornando sem o aparelho.

Testemunhas ouvidas afirmaram que ele teria levado uma surra de quatro a cinco rapazes  dentro de sua própria casa, no bairro Jardim Industriário, e após sequestrado e levado em um veículo Astra preto. A surra estaria motivada pelo fato dele estar devendo dinheiro em uma boca de fumo, no bairro Boa Esperança II, mas logo depois houve informações de que sua morte também seria por conta do furto do aparelho celular.

As testemunhas relataram ainda que os suspeitos chegaram em três  veículos, um Astra preto de propriedade de Roger, um Gol prata que pertence a Otávio, e uma motocicleta tricolor com um menor.



O adolescente, que era menor na época do crime, teve um mandado de busca e apreensão cumprido em sua casa. Ao ser ouvido, durante as investigações, confirmou que a vítima tinha furtado seu aparelho celular, na noite de 19 de janeiro de 2019, mas que foi recuperado no dia seguinte. Ele disse que um amigo, também menor de 18 anos, teria telefonado, informando que estava com o celular dele.

Os policiais também identificaram a boca de fumo, onde provavelmente houve a troca do aparelho celular furtado do menor.

“Com os elementos de informações colhidos nos autos é possível concluir que a vítima, após levar um “salve” (agressões físicas) em frente sua casa, no bairro Jardim Industriário I, foi sequestrado pelos seus agressores, colocado à força dentro do Astra preto e assassinado. Posteriormente, seu corpo foi jogado dentro da represa onde ele foi encontrado”, resumiu à delegada.