Senadores criticam corte de bolsas na Capes

0

Os senadores Humberto Costa (PT-PE) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) criticaram, nesta terça-feira (4), em Plenário, o corte de bolsas na Capes de pós-graduação anunciado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Segundo o órgão vinculado ao Ministério da Educação, a medida representa uma economia adicional de R$ 4 milhões neste ano e de R$ 35 milhões em 2020.

Para Humberto Costa, um país que não investe em pesquisa e na formação de seus cidadãos não pode esperar muito do futuro. Ele se disse “estupefato” com o corte, que atinge cerca de 2.700 bolsas de pós-graduação e mestrado. O senador afirmou que é difícil de entender as prioridades do governo de Jair Bolsonaro, principalmente depois que os governos Lula (2003-2010) e Dilma (2011-2016) implantaram programas educacionais que incluíram muitos brasileiros na graduação.

O líder da oposição, Randolfe Rodrigues, destacou que os cortes anunciados se somarão às mais de 6 mil bolsas de mestrado e doutorado que tiveram o financiamento encerrado desde o início do governo. Para ele, a medida significa “sequestrar o futuro” de toda uma geração de estudantes e aprofunda o “sucateamento” do ensino superior brasileiro.

— O ministro da Educação deve ter algum complexo de juventude contra as universidades — ironizou.

 

Dólar fecha no menor valor em quase 50 dias, abaixo de R$ 3,90