A Polícia Civil de Lucas do Rio Verde-MT em conjunto com policiais da delegacia de Sorriso-MT elucidou três homicídios e um homicídio tentado ocorridos na ultima semana em Lucas do Rio Verde.

O trabalho conjunto se deu, ao passo que três dos crimes, envolvendo moradores de Lucas do Rio Verde, foram praticados no município vizinho, quando três adolescentes com idades entre 15 e 16 anos, foram às vítimas. Os crimes, como já noticiado pelo CenárioMT, aconteceram na madrugada da última sexta-feira (31).

(RELEMBRE O CASO) Dois adolescentes foram mortos a tiros em uma mata, as margens da rodovia MT/485 que liga Lucas do Rio Verde a comunidade rural Santo Antônio do Morocó. Um terceiro garoto sobreviveu à tentativa de execução, e permanece internado em uma unidade de tratamento intensivo do hospital São Lucas.

Durante investigações para chegar à autoria do duplo homicídio e do homicídio tentado contra os adolescentes, a polícia elucidou o crime que vitimou uma transexual, ocorrido na madrugada do último dia 27, (segunda-feira) na Avenida da Produção, nas proximidades de um posto de combustível. A região é conhecida por ser ponto de prostituição e tráfico de drogas. (RELEMBRE O CASO)

Pelo menos quatro pessoas, entre elas um menor, foram identificadas como sendo os autores dos crimes que vitimaram os três adolescentes e a transexual, informou o delegado Daniel Santos Nery.

“Os investigadores conseguiram identificar os quatro suspeitos que participaram daquele duplo homicídio e um tentado. Com essa investigação conseguimos chegar até o suspeito também, de ter matado a transexual de modo que todos os homicídios que aconteceram no mês de maio, que foi um número fora do comum, foram esclarecidos pela delegacia de Lucas do Rio Verde e o último caso em conjunto com a delegacia de Sorriso”, salienta Nery.



MOTIVAÇÕES     

Sobre os crimes envolvendo os menores, a polícia informou que as motivações foram por desentendimento entre o trio (vítimas) e outro menor, que de acordo com as investigações comandava uma boca de fumo no bairro Téssele Junior.

“O que a gente percebeu é que as vítimas teriam invadido a área do Téssele de forma desrespeitosa, pois eles seriam de outra região. A criminalidade local, do Téssele Júnior, não gostou da postura deles e resolveram cobrar essa atitude, e cobraram da pior forma, que foi ceifando a vida dos dois e deixando um no hospital em estado gravíssimo”.   

O menor, de acordo com os autos, teria entrado em atrito com os rivais, e depois disso, comunicado o fato a outros criminosos da região do Téssele Júnior, onde o grupo interceptou as vítimas e as levaram até a mata, onde ocorreu à execução.

Em relação ao crime que tirou a vida da transexual, o menor teria tido uma discussão por motivo fútil com a vítima e em seguida atirado diversas vezes.

“O menor (autor dos disparos) foi até a Avenida da produção para comprar drogas, segundo ele, acabou perguntando para o travesti como comprar. Nessa conversa acabaram se desentendendo. Nesse fato, é o que chamamos de banalização da vida mesmo, onde por causa de uma discussão boba e estando armado e não gostando da atitude da transexual, resolveu atirar contra ele”, explicou o delegado.

Nos autos, o menor conta com riquezas de detalhes a dinâmica do crime de homicídio “de modo que a gente não tem dúvida nenhuma da participação dele no homicídio”, disse o delegado.

Uma arma de fogo, sendo um revólver calibre 38 foi apreendida. A arma pode ter sido usada para tirara à vida da transexual.

“Eles (criminosos) tinham duas armas e utilizaram uma delas no homicídio. Nós só recuperamos uma, que é essa aqui (foto) que pode ter sido usada para cometer o crime, ou também, pode ter sido a outra arma que ainda não foi recuperada. Então não posso afirmar categoricamente que foi essa”, considerou o delegado.

FACÇÃO CRIMINOSA

O delegado Daniel Santos Nery, durante coletiva à imprensa, descartou a possibilidade de uma possível rixa entre facções criminosas que estariam instaladas em Lucas do Rio Verde. O assunto chegou a circular no município tendo em vista ao volume de crimes contra a vida (homicídios e homicídios tentados) registrados no mês de maio.

“Brigas entre facções não. Mas, temos que imaginar que existe um código de ética, mais ou menos pelo que a gente entende, entre eles. Então eles têm lá as punições e podem ser drásticas para quem descumpre. Ao que a gente entendeu foi isso, mais uma questão desrespeitosa que eles entenderam que houve em relação às vítimas”, afirmou Nery.

O delegado, por tanto, não descartou a possibilidade da delegacia de Lucas do Rio Verde buscar apoio à Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa – DHPP – da cidade de Cuiabá para chegar a outros possíveis envolvidos nos crimes de homicídios ocorridos no município.

“A gente tem uma linha de investigação para tentar chegar em quem está passando esse tipo de ordem. Eu nem descarto um apoio da DHPP de Cuiabá, inclusive eu estou com viagem programada para lá e devo debater isso com eles para que possamos aprofundar mais e chegar aos possíveis mandantes. Embora nossa delegacia já tenha uma linha. Com toda essa apuração, é natural que tenhamos uma linha, mas não descarto apoio da DHPP para aprofundarmos mais ainda” concluiu o delegado.

Menores são encontrados mortos em mata próxima a Lucas do Rio Verde

Transexual é morta a tiros em Lucas do Rio Verde