Após anunciar a aposentadoria pela terceira vez, Gustafsson garante: “Agora é definitivo”

0
Foto: Reprodução / YouTube

A derrota por finalização para Anthony Smith no quarto round da luta principal do UFC Estocolmo, no último sábado, foi para Alexander Gustafsson uma confirmação de que chegou a hora de parar. Após anunciar por duas vezes a sua retirada do esporte e voltar atrás, o sueco garantiu, na entrevista após o evento, que desta vez a decisão é definitiva. Gustafsson perdeu pela quarta vez nas últimas seis lutas.

– Eu sei que sempre treinei muito duro. Eu estava pronto para essa luta. Eu realmente estava pronto e muito calmo, e ainda assim não foi suficiente. Não sei mais o que fazer para ganhar. Se não tenho mais aquele sentimento de competição dentro de mim, não faz sentido continuar lutando. Foi uma jornada incrível. Se eu tivesse vencido Anthony Smith, não estaria me aposentando. Mas agora perdi para ele também, e não sinto mais vontade de lutar. Foi uma confirmação para mim. Não faço isso por dinheiro. Eu luto porque quero vencer os melhores, e ser o melhor. Se não consigo, acabou. É definitivo. Não quero ser um mercenário, não quero lutar porque me pagam. Quero lutar porque eu amo a luta, e por querer estar no topo.

Enfrentar Anthony Smith era, para Alexander Gustafsson, a oportunidade de iniciar uma nova caminhada rumo ao topo da categoria, após a derrota para Jon Jones no UFC 232. Ter sido vencido pela segunda vez consecutiva deu ao sueco a certeza de não ter mais a vontade de continuar se dedicando ao MMA como seria necessário para voltar a disputar o cinturão.

– Eu perdi para Jon na minha terceira disputa de cinturão, e achei que, por ter me lesionado um pouco naquela luta, eu não havia conseguido mostrar tudo o que podia. Por isso ainda havia em mim uma esperança de que a luta contra Anthony Smith pudesse ser o primeiro passo da minha nova caminhada rumo ao topo. Mas eu perdi, assim como perdi nas três chances que tive de ser campeão. Acho que me aposentar na minha casa, aonde consegui vitórias memoráveis contra Thiago Silva e Glover Teixeira, que eu aponto como os pontos altos da minha carreira e que guardarei para sempre, foi uma forma honrada de dizer aos fãs e aos espectadores que esta foi a minha decisão. Viajei o mundo todo, conheci lugares incríveis e fiz muito amigos na minha vida. Vivo uma vida que eu amo por causa do MMA e do UFC – finalizou.