Jayme descarta apoio a Botelho e Emanuelzinho: ‘Discutir antes de 2020 é conspiração contra prefeita’

0
Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

O senador Jayme Campos (DEM) afirmou que até o momento não discutiu sobre a eleição para prefeitura de Várzea Grande em 2020 e que ainda é muito precoce para definir se irá apoiar um possível projeto do presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM) ou do deputado federal Emanuelzinho (PTB), este último cogitado nos últimos dias.

Para o senador, qualquer conversa sobre eleição para prefeitura antes de 15 de maio do ano que vem, seria uma conspiração contra a sua esposa, a prefeita Lucimar Campos de Sacre, que ainda está cumprindo seu mandato.

--
-Continua depois da publicidade ©-
--

“Eu particularmente só vou discutir eleição para prefeitura de Várzea Grande a partir de 15 de maio de 2020. Aqueles que quiserem falar na possibilidade de fechar uma chapa para prefeitura de Várzea Grande antes, não irá contar com o senador Jayme Campos e muito menos com prefeita Lucimar Campos. Aqueles que quiserem discutir isso antes de 15 de maio, eu imagino que está conspirando contra a prefeita, porque o mandato dela tem quase dois anos ainda”, disse o parlamentar.

O posicionamento de Jayme foi uma resposta para jornalistas que questionaram sobre as possíveis candidaturas do deputado estadual Eduardo Botelho e do deputado federal Emanuelzinho.

Botelho se afastou da presidência da Assembleia e de seu cargo de deputado no mês passado, alegando que iria cuidar de sua saúde, de problemas pessoais e refletir sobre uma a possibilidade de ser candidato a prefeito de Cuiabá ou de Várzea Grande em 2020.


-Continua depois da publicidade ©-

Já o nome do deputado Emanuelzinho, como possível candidato a prefeitura de Várzea Grande, surgiu após o seu pai, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) revelar que o jovem parlamentar manifestou interesse em mudar seu título para cidade industrial, visando a eleição do ano que vem.

Em entrevista nesta sexta-feira (31), Emanuelzinho garantiu que está 100% focado em seu mandato na Câmara Federal, mas deixou claro que não tem medo de disputar uma eleição e que se for de entendimento de seu partido, pode lançar a sua candidatura.