Em Mato Grosso, búfalos são vacinados contra aftosa

0
Foto: Reprodução/TVCA

No próximo dia 30 termina a campanha de vacinação contra a febre aftosa para bovinos e bubalinos, em Mato Grosso. Em uma propriedade rural de Jangada, a 82 km de Cuiabá, o dono já imunizou os 110 búfalos que cria no local.

A criação dos animais que se encaixam na categoria de bubalinos, começou há 14 anos. Os búfalos precisam de uma área grande e com adequações necessárias às características. Neste caso, são 400 hectares dedicados, exclusivamente, a eles.

Para facilitar o manejo, o proprietário da fazenda, Joaquim Junqueira, dividiu a criação em piquetes fechados com cerca elétrica, porque o búfalo tende a fugir. Esse controle é feito em toda a propriedade que também dispõe de dez represas.

“ Por causa da cor de pele dele, o búfalo precisa de muita água. Ele mergulha várias vezes por dia e também gosta de sombra”, explicou o criador.

Os bubalinos são muitos diferentes do bovinos, tanto em características, quanto no manejo. No caso da vacinação, Manoel Luzio da Conceição, funcionário da fazenda explicou que os búfalos são mais calmos.

“Além do couro ser mais grosso, o que facilita a aplicação, são animais mais doceis e não atacam a gente”, contou.

O funcionário aproveita o manejo no curral para vacinar o rebanho também contra brucelose, raiva e aplica vermífugo.

Em Mato Grosso, nessa etapa, devem ser vacinados pouco mais de quinze mil bubalinos contra a aftosa.



De acordo com proprietário, essa espécie não dá trabalho, pois não sofrem de algumas doenças e pragas comuns aos bovinos.

“Não têm carrapato, nem mosca do chifre. De vez têm piolho, mas basta uma pulverização para acabar”, relatou Joaquim.

O objetivo da criação de bubalinos na propriedade de Joaquim é a produção de leite. Para aumentar a produção, o dono investiu em melhoramento genético e nutrição dos animais.

Atualmente, as fêmeas produzem o dobro de litros que era produzido em 2006, quando o criador começou a investir nessa espécie.

“Eu tirava uma média de cinco litros, hoje tiro entre oito e novo litros”, afirmou Joaquim.

Esse volume de produção por animal é baixo, se comparado com a pecuária leiteira bovina, mas para o pecuarista, o resultado das fêmeas é muito bom.

No local há 40 búfalas em lactação que produzem 330 litros por dia. Toda a produção é destinada fabricação de queijos e doces.

“Nós fazemos mussarela de vários tipos frescal e doce de leite aproveitamento totalmente o que é produzido”, disse Joaquim.

Criadores do Brasil

Em nível nacional, os maiores rebanhos de búfalos estão no Pará, Amapá, São Paulo e Maranhão. A espécie também é dividida em diversas raças: morra, murrah, jafarabadi e mediterrâneo. O morro e o jafarabadi são indianos. Já o mediterrâneo é italiano.