Cáceres pode ganhar mais 1.200 vagas na rede pública de ensino

Município aguarda liberação de R$ 6 milhões para construção de duas escolas. Articulação foi feita pelo deputado Silvio Fávero.

0
SILVIO FAVARO

O deputado estadual Silvio Fávero (PSL), articulou junto ao governo do estado a liberação de R$ 6 milhões para a construção de duas escolas estaduais no município de Cáceres. Cada unidade terá 16 salas de aula. As unidades escolares serão construídas no bairro Vila Real e no Residencial Dom Máximo, com capacidade para atender cerca de 600 alunos cada uma.

A liberação do recurso atende uma indicação do parlamentar junto ao governo estadual. “A educação é um direito de todos e dever do estado. No mesmo sentido, a Constituição de Mato Grosso coloca a educação como um dos princípios fundamentais e dos objetivos prioritários. E o Executivo tem, também, se preocupado com a educação em nosso estado, tanto que não mediu esforços para atender a nossa reivindicação”, observou o deputado.


Continua depois da publicidade

Na semana passada, Fávero recebeu o prefeito de Cáceres, Francis Maris Cruz, que solicitou ao parlamentar apoio para conseguir junto ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), do Ministério da Educação, a liberação de recursos na ordem de R$ 270.840,61 para obras das creches Cavalhada II, Emília Darci e Jardim das Oliveira. Sobre o assunto, o parlamentar garantiu empenho para tentar destravar o benefício.

Escola Militar – Ainda falando sobre educação, vale lembrar que o deputado Silvio Fávero é autor do Projeto de Lei nº 361/2019 que facilita a instalação de escolas militares nos municípios mato-grossenses. O intuito é oferecer excelência no ensino, além de transmitir valores morais, disciplina, amizade, patriotismo, o respeito à família e a pátria e o incentivo ao esporte.

-Continua depois da publicidade ©-

“Não estamos falando em nenhuma novidade. A maioria dos estados brasileiros já possui colégios administrados pelo Exército ou Polícia Militar, todos formalmente definidos como escolas públicas, apesar de comumente haver cobranças ou pedidos de contribuição de taxas mensais, mas que servem para a manutenção dos colégios”, argumentou Fávero, autor da inciativa, ao defender que a escola militar surgiu da necessidade de reverter a “situação caótica” em que se encontra a educação no Brasil.





-Patrocinador-