Com um ano em andamento no município de Lucas do Rio Verde-MT o projeto ‘Força Na Peruca’ vem atendendo mulheres que estão passando por tratamento quimioterápico.

Inspirado em um projeto semelhante, já desenvolvido há bastante tempo na cidade de Ji-Paraná- RO, o projeto luverdense já confeccionou 80 perucas, sendo que dessas, 52 estão em uso, tanto no próprio município, bem como em diversas cidades do Estado. As voluntárias que trabalham no projeto fizeram recentemente doações de perucas para o Hospital de Câncer de Cuiabá.

Todo material utilizado na confecção das perucas são de doações feitas pela sociedade. O projeto em Lucas do Rio Verde, de acordo com uma das coordenadoras Rose Ida, recebe mechas de cabelos de pessoas em várias cidades.

“Nós recebemos os cabelos doados e fazemos a separação por cores, para que daí possa iniciar a montagem das telas onde as costureiras confeccionam as perucas que são destinadas as pacientes em tratamento de câncer no Estado de Mato Grosso, de forma gratuita”.

Em Lucas do Rio Verde o projeto ‘Força na Peruca’ conta com a parceria de 25 salões de cabeleireiros, que dão descontos às pessoas interessadas em fazer o corte para doação. “Você pode optar em cortar o cabelo em salões credenciados ao projeto, pois eles já têm as instruções de como é feito o corte, separação de mechas e tamanho mínimos que precisamos, que é de 15 centímetros”, salientou Rose.

Ainda de acordo com Rose, pode ser doado todo tipo de cabelo, “inclusive os que tiveram aplicação de químicas, alisamento ou outro tratamento. Pois são várias mulheres que precisam das perucas e elas solicitam as que se mais aproximam do seu cabelo anterior. Quanto mais tipo de cabelo, mais opções de perucas teremos para disponibilizarmos às pacientes”.

As perucas trazem de volta a autoestima para a pessoa que está passando por tratamento quimioterápico, tendo em vista que um dos principais efeitos colaterais é a queda dos cabelos durante o processo.

Para que o projeto continue em andamento, as voluntárias contam com total apoio da Casa da Amizade, que cedeu uma sala para que a oficina de confecção das perucas pudesse ser implantada.

De acordo com a presidente da Casa da Amizade, Cléia Dalbem, para que o projeto ‘Força na Peruca’ continuem suas atividades, é preciso além das doações de cabelos, apoio da sociedade, inclusive com ajuda financeira. “É disso que o projeto sobrevive, com essas doações. Além disso, as voluntárias fazem a venda de camisetas ao valor de R$ 35,00 para ajudar a manter o projeto, pois os custos vêm todo mês e precisamos fazer a manutenção da oficina, tendo em vista que a maioria das pacientes atendidas é de baixa renda”, frisou.

Sensibilizados com a importância do projeto e os benefícios oferecidos, diretores da Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL fez a doação de um cheque à Casa da Amizade. O valor repassado corresponde ao lucro obtido com um evento realizado às mulheres no mês de março, oportunidade em que a ex-jogadora de vôlei da Seleção Brasileira, Virna Dias, compartilhou experiências com as mulheres luverdenses.

“É um projeto que muito importante para a sociedade e uma ação que nós da CDL temos maior carinho para estarmos auxiliando. O intuito é realizar, também, esse trabalho social. Já somo parceiros da Casa da Amizade e agora estamos ainda mais envolvidos com o projeto Força na Peruca”, comentou Adriane Dantas, membro da diretoria da CDL.

O projeto ‘Força na Peruca’ é realizado com total doação das pessoas que o mantem ativado. Porém, os idealizadores contam com apoio e convida novos voluntários para a confecção das perucas, além, é claro das doações de mechas de cabelos. Segundo Rose Ida, quem tiver interesse em ajudar com mão-de-onça, não precisando necessariamente ter experiência com produção, basta procurar a Casa da Amizade, onde os trabalhos são realizados de terça a quinta-feira, das 13h30 às 17 horas.