4 dicas para evitar o surgimento de acne no outono e inverno

0
© DR

Durante o verão, o surgimento de cravos e espinhas é, para muitos, algo inevitável, devido ao excesso de oleosidade na pele comum durante esta época. Porém, engana-se quem acredita que com a chegada das estações frias os problemas com acne acabam. Na verdade, como os produtos de acne ressecam o tecido e o clima frio tende a deixar a pele com mais secura, a acne pode ser ainda pior. “O ar frio contém menos umidade, o que torna a pele naturalmente mais seca. Com isso e o excesso de limpeza e produtos com ação secativa, as glândulas sebáceas passam a produzir uma quantidade maior de sebo na tentativa de hidratar o tecido, o que resulta em poros entupidos e, consequentemente, cravos e espinhas”, explica a dermatologista Dra Valéria Marcondes, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia. Porém, é possível evitar esse problema através de alguns cuidados básicos que a especialista apontou abaixo.

Confira:

– Para de tocar seu rosto. Nossas mãos passam o dia todo em contato com sujidades que podem ser transferidas para o rosto quando o tocamos, falicitando o surgimento de acne. Além disso, as mãos também produzem oleosidade, que também pode ser transferida para o rosto, agravando o quadro acneico. Então é melhor evitar tocar a face com muita frequência. “E a dica deve ser seguida à risca principalmente por aqueles que são viciados em usar cremes para as mãos durante o inverno. Isso por que estes produtos são formulados com uma grande quantidade de óleos e ingredientes oclusivos que podem ser carregados para o seu rosto e fazer com que as espinhas e cravos apareçam”, destaca a dermatologista.

– Cuidado com banhos quentes. As pessoas tendem a acreditar que toda a acne é causada por falta de higienização ou excesso de oleosidade da pele. Porém, grande parte dos casos ocorrem devido ao ressecamento do tecido. E um dos grandes causadores do ressecamento da pele são os banhos quentes. “Isso por que a água quente remove alguns dos óleos naturais que tem como função formar uma barreira sobre a pele e proteger o tecido cutâneo. Consequentemente, a pele torna-se seca e mais suscetível às agressões externas, além de sofrer um efeito rebote, promovendo o aumento da produção de oleosidade pelas glândulas sebáceas, o que favorece o aparecimento de cravos e espinhas”, completa a Dra. Valéria.

– Atente-se à hidratação da pele. No inverno, a hidratação do tecido é ainda mais importante, pois a maioria das pessoas experimenta pele seca ou escamosa em climas mais frios. Porém, no lugar de usar o creme mais pesado possível, procure utilizar diferentes produtos, como séruns e loções, para fornecer barreiras de proteção para as diversas camadas da pele. “Além disso, é importante ficar de olho na composição de seu hidratante. É fundamental que o produto que você está usando contenha ativos umectantes, que são ingredientes que atraem água para a pele. Por isso, procure por hidratantes formulados com substâncias como glicerina, ácido hialurônico, alantoína, propilenoglicol, sorbitol ácido glicólico e láctico”, recomenda a médica.

– Inclua produtos para acne na sua rotina de beleza da estação. O fato de o clima frio promover o ressecamento de sua pele não quer dizer que você não deve usar produtos específicos para acne. Afinal, existem cosméticos para o tratamento da condição que não são formulados com agentes secantes como álcool ou peróxido de benzoíla. “Uma boa dica, por exemplo, é utilizar produtos à base de ácido salicílico, que são ótimos para acalmar a pele acneica sem secá-la excessivamente. Mas o mais importante é a hidratação posterior em séruns ou gel. E lembre-se de consultar um dermatologista. Apenas ele poderá realizar uma avaliação de sua condição e indicar o melhor tratamento dependendo da causa do seu problema”, finaliza a Dra. Valéria Marcondes.