Faculdade Intercultural da Unemat garante a autonomia indígena na educação escolar

A Unemat já formou em nível de graduação 450 professores indígenas

0

Na Unemat, todo dia é dia de garantir o protagonismo indígena na Educação Escolar. A Universidade do Estado de Mato Grosso é pioneira, na América Latina, na oferta de cursos de graduação e pós-graduação específicos e diferenciados para a qualificação e habilitação de professores indígenas que trabalham nas escolas das aldeias.

Em mais de 17 anos de Educação Escolar indígena, a Unemat já graduou 450 professores indígenas pertencentes a mais de 34 etnias e especializou 140 professores.

Além das ações pioneiras para a formação de professores indígenas em nível de graduação, a Universidade passa a ofertar mestrado profissional Ensino em Contexto Indígena Intercultural, para a formação de professores indígenas da Educação Básica. Aprovado nesse mês de março pela Capes, o programa ofertará 20 vagas em duas linhas de pesquisa: “Ensino, docência e interculturalidade” e “Ensino e linguagens em contexto intercultural”.

Respeito às características dos povos originários

Todos os cursos são desenvolvidos em articulação constante com o movimento indígena, tendo como valores centrais: discussão de território dos povos indígenas, valorização da identidade e cultura, diálogos interculturais entre diferentes conhecimentos, saberes, valores e princípios cosmológicos dos povos originários do Brasil.

“A Unemat fez e está fazendo um trabalho fundamental dentro das comunidades indígenas, que é levar o ensino superior de qualidade para as aldeias, um processo do qual a gente não participava”, afirmou em entrevista recente, o indígena Márcio Monzilar, do povo Umutina.

Graduado em Artes, Língua e Literatura, pela Faculdade Indígena Intercultural (Faindi), e mestre em Literatura pela Unemat, Márcio Monzilar é o atual Coordenador Pedagógico da Escola Estadual Indígena Julá Paré. Para ele, a Unemat desempenha um trabalho importante ao integrar os diferentes saberes. “E mais ainda porque faz um trabalho de uma educação diferenciada, onde reconhece os conhecimentos tradicionais de escolas indígenas, o que vem fortalecendo cada vez mais nossas escolas e nossas comunidades”, disse.

Formação diferenciada

Atualmente estão em formação 120 professores-indígenas, de 23 etnias, nos cursos de licenciatura em Pedagogia Intercultural e licenciatura Intercultural. Os cursos são ofertados por meio da Faculdade Indígena Intercultural (Faindi), ligada ao Câmpus Universitário Deputado Renê Barbour, no município de Barra do Bugres.

Além da graduação específica, a Unemat estabeleceu uma cota de 5% das vagas de todos os cursos da instituição para alunos indígenas, desde 2016. E, no ano de 2006, uma parceria com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) possibilitou a oferta de cinco vagas adicionais no curso de Enfermagem do câmpus de Cáceres, para indígenas com interesse de atuar na área de saúde em suas comunidades.

Metodologia diferenciada

Os cursos obedecem a um regime especial e são desenvolvidos de forma presencial nos períodos de férias e recessos escolares. Há também o denominado “Tempo Aldeia”, em que os cursistas desenvolvem atividades orientadas, nos períodos em que os estão ministrando aulas nas respectivas escolas indígenas. O currículo é flexível e definido com ampla participação de todos os envolvidos no processo.