Ônibus que transportam alunos da Apae param de circular por falta de combustível e pagamento a funcionários em MT

0
Foto: TVCA/ Reprodução

Os ônibus que transportam os alunos da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Tangará da Serra, a 242 km de Cuiabá, pararam de circular nessa segunda-feira (15) por falta de repasse do governo de Mato Grosso. Parte do dinheiro seria usada para pagar os salários dos motoristas e abastecer os veículos.

A Secretaria Estadual de Educação (Seduc) informou que repassou à instituição R$ 720 mil nos últimos dois anos e que o convênio para 2019 e 2020 ainda não foi firmado. A secretaria informou ainda que elaborou um documento ao Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do estado e aguarda decisão.


A instituição tem cerca de 270 alunos matriculados. Os veículos eram usados para buscar e levar os alunos nos bairros, mas agora estão parados na garagem por falta de combustível. Sem o transporte, os alunos não conseguem ir à escola.

“Faltam muitas crianças, pois os pais não têm veículo próprio e nem condições de pagar um transporte particular. As crianças não podem perder por causa disso”, ressaltou a coordenadora da Apae, Inês Tramontina.

O local é mantido com repasses municipais e estaduais. Para este ano, a previsão era que o estado enviasse R$ 360 mil dividido em 12 meses, mas até agora nenhuma parcela foi depositada, segundo a Apae.

Nove funcionários da instituição que eram pagos pelo governo do estado tiveram que ser dispensados.

  Homem rouba carro, é baleado durante a fuga e morre em Mato Grosso

Alguns pais e parentes de alunos estão levando as crianças para a escola, mas afirmam que os gastos estão aumentando e está dificultando a rotina da família.

“É difícil para nós, pois é um gasto muito pesado. O ônibus é bom para buscar as crianças, mas sem ele a situação complica”, disse a dona de casa Lindalva Lopes da Silva.

Para continuar prestando serviço aos alunos excepcionais, a coordenadora da instituição pede doações da população por meio da Apae Energia.

“Poderíamos usar esse dinheiro para manutenção e abastecimento dos veículos. A pessoa assina uma autorização e pode contribuir com qualquer valor, que virá descontado na conta de energia”, explicou.

Outras unidades da Apae nos municípios de Alta Floresta, Barra do Garças e Primavera do Leste, a 800 km, 516 km e 239 km de Cuiabá, também estão com dificuldades financeiras.

Solidariedade

Diante da crise financeira da Apae de Tangará da Serra, o clube de carros antigos, que leva o nome da cidade, está rifando um Fusca, ano 1978, e parte do dinheiro será doado para a instituição.

A rifa tem o valor de R$ 20 e está sendo vendida em vários pontos da cidade e também na sede da Apae.

O sorteio deve ser feito pela loteria federal durante uma exposição de carros, que deve ser realizada no dia 12 de outubro.

| deixe sua opinião |

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui