O controle da bola tem sido uma das ferramentas que definiram o estilo de jogo do Galo recentemente. No entanto, mesmo que essa estratégia tenha dado resultados positivos no Brasil, os mesmos são adversos internacionalmente.

 

Atlético MG se destaca no Brasil

O Galo é forte no campeonato mineiro, com desempenho de 80% de eficácia nas partidas regionais; no entanto, e como mostra o site https://sportv.globo.com, sua performance global se reduz a 59,7% quando inclui todas as competições em que participa. Uma grande causa dessas mudanças na eficácia, é devido a que o técnico Levir Culpi se concentra em mudar os jogadores que ele usa como titulares de acordo com cada competição em que eles participam. O exemplo mais claro disso aparece no Campeonato Mineiro, onde o Galo fica isolado na liderança, conforme discutido pelo site https://www.espn.com.br, embora tenha utilizado uma equipe de reserva nos jogos recentes.

 

Como resultado do acima exposto, o Atlético MG sacrificou a espetacularidade do seu jogo em troca de ter uma posse maior da bola, tentando desesperar o adversário e manter uma vantagem pela diferença mínima. Apesar da falta de criatividade e proposta do clube, o desempenho do Galo é mantido em números positivos e o técnico Culpi busca se focar numa estratégia que vem dando resultados positivos à sua equipe. Além de ser o favorito para vencer o torneio regional, o Atlético MG enfrentará em breve a competição do Brasileirão, onde já tem um lugar entre os favoritos antes mesmo de começar o torneio.

 

Nesse contexto, a casa de intercâmbio de apostas online https://www.betfair.com/br coloca o Galo na sexta posição das equipes com melhores chances de vencer a Série A, com 5,9% em 15 de março, acima inclusive de equipes como Cruzeiro, Santos, São Paulo e Corinthians. A partir disso, será necessário ver se a estratégia de jogo usada pelo técnico Culpi é o suficientemente boa para dar ao Galo um título que não obtêm desde 1971.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Clube Atlético Mineiro (@atletico) on

O Galo no contexto internacional

Além da vantagem que o Atlético MG tem dentro do Campeonato Mineiro, e de estar entre os primeiros favoritos a vencer o Brasileirão, a batalha dos dirigidos por Levir Culpi se estende por todo o sul do continente. Como parte do grupo E, com Cerro Porteño (Par), Nacional (Uru) e Zamora FC (Ven), o Galo também disputa a Copa Libertadores neste 2019.

Infelizmente, o contexto do clube mineiro dentro deste torneio internacional não é tão positivo quanto é dentro do Brasil, já que o estilo de jogo defensivo e o uso de três volantes que ao técnico Levir Culpi tem usado localmente, já criaram um dos piores inícios da história de sua participação neste torneio continental. A este respeito, o site https://www.foxsports.com.br/ destaca a preocupação do zagueiro Réver, que durante uma entrevista coletiva comentou que a atual campanha do clube dentro da Libertadores já tirou seu sonho de voltar a ser campeão do torneio.

Tendo duas derrotas em seus dois primeiros jogos, Réver pede uma revolução no comando da equipe, para assumir uma nova posição de jogo que lhes permita serem melhores adversários para seus oponentes no torneio.

 

O técnico Levir Culpi assumiu o comando da equipe em outubro de 2018, com o objetivo de retornar ao Galo ao caminho da vitória e repetir triunfos como a Recopa Sul-americana e a Copa do Brasil de 2014, e o Campeonato Mineiro de 2015.

No entanto, apesar de seu estilo de jogo estar lhe dando resultados positivos no país, ele terá que adaptar uma estratégia diferente quando enfrentar equipes fora do Brasil, se quiser melhorar suas chances de conquistar a vitória na Copa Libertadores.