Obras da Escola Técnica de Sorriso devem ser entregues em dezembro

0

Equipe da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secitec) fez, nesta semana, visita às obras da Escola Técnica de Sorriso. A construção da unidade escolar conta com R$ 11 milhões em investimentos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e visa atender cerca de 2,5 mil alunos divididos em três turnos: matutino, vespertino e noturno.

Para o secretário da Secitec, Nilton Borgato, que esteve no local juntamente com a equipe da Superintendência de Gestão Sistêmica, a escola vai ajudar a desenvolver o município, além de ajudar na formação profissional dos jovens com cursos que irão beneficiar toda a região. “A escola é uma perspectiva de avanço no ensino para esses cidadãos”.

O superintendente da Gestão Sistêmica, Fábio Vieira Alves, explica que o prédio tem 12 salas de aula, 11 laboratórios, um laboratório especial, um auditório com capacidade para 150 pessoas, quadra poliesportiva, biblioteca, centro de vivências (refeitório, jardim) e salas para o administrativo pedagógico. Ele acrescenta que que as obras estão com 37% concluídas, em uma área de 5.537 m². “A previsão de entrega é para dezembro deste ano”.

Também participaram da visita técnica, os deputados estaduais, Janaina Riva, Dr. João Matos, Xuxu Dal Molin, o prefeito, Ari Lafin, o secretário de Desenvolvimento Econômico de Sorriso, Claudio Drusina e os engenheiros da Secitec. “Essa instituição vai trazer conhecimento aos moradores e contribuir com o desenvolvimento de Mato Grosso”, disse Dal Molin.

Mais visitas no interior

Outra escola que fez parte da visita técnica da equipe da Secitec foi fica em Diamantino, onde o secretário quis conhecer projetos, alunos e conversar com os profissionais da educação.

Segundo a diretora da Escola Técnica de Diamantino, Eva Luiza de Melo, a visita à escola é uma forma de acompanhar o andamento da unidade e conhecer os avanços e necessidades da comunidade escolar.

“A visita do secretário é um acompanhamento excelente, pois ele vê a realidade da escola, presencia os avanços, conhece de perto os profissionais e os alunos. A unidade se sente acolhida e apoiada”, considera.

Para Borgato, esse contato com quem efetivamente faz o trabalho nas escolas é fundamental. “A nossa presença é muito importante para conhecer a realidade de cada unidade e de cada região, para poder tomar decisões acertadas para melhoria contínua da qualidade profissional em Mato Grosso. Além disso, é importante oferecer este apoio”.

Ele destacou a conversa com os estudantes como proveitosa, pois foi possível provocá-los para que continuem investindo nos estudos. “Essa é uma fase importante na vida dos jovens, que precisa ser aproveitada ao máximo, porque as escolhas deles farão toda a diferença no futuro profissional e familiar”.