Criança reclama de dor no ânus e professoras chamam a polícia em Mato Grosso

1

Por suspeita de que um menino de dois anos teria sido vítima de estupro de vulnerável, uma psicóloga e duas professoras de uma creche do Assentamento Jaguaribe, na região do município de União do Sul (a 649 km de Cuiabá), procuraram a polícia e registraram um boletim de ocorrência. Elas encontraram um ferimento na região do ânus do menino, que ao ser questionado teria dito a palavra “papai”.

As funcionárias encontraram o ferimento do menino, mas inicialmente acreditaram que seria uma assadura. No entanto, a criança teria dito as palavras “papai”, “pau”, “bumbum” e “dodói”, o que provocou a suspeita das professoras.


Elas então levaram o menino a uma enfermeira da cidade, que examinou a criança e afirmou que não se tratava de uma assadura. Ao ser questionado sobre o ferimento o menino teria dito a palavra “papai”.

Elas então procuraram a polícia e registraram um boletim de ocorrências, por estupro de vulnerável. A Polícia Militar ainda teria ido à casa da criança, mas o pai não foi encontrado. Na creche eles encontraram a mãe do menino, que disse que o pai estaria trabalhando em uma fazenda e só retornaria no sábado (16).

  Idoso morre em motel após usar estimulante sexual

A Polícia Militar confirmou que nenhuma prisão foi feita. O caso deve ser investigado pela Polícia Judiciária Civil, pois até o fechamento desta matéria nenhuma informação oficial foi repassado. A mãe entrou em contato com a reportagem do CenárioMT afirmando que a criança vai ao médico regularmente, que acredita que a assadura ocorreu por ficar tempo sem limpar a criança que estava na creche, e que assim que tiver o relato médico irá encaminhar a nossa redação.

 






1 COMENTÁRIO

  1. Mato.Grosso é o Estado com maior de
    Indece violencia sexual de.crianca.Fiquei chocada com está menino dois anos estrupada pelo pai.E de ficar revoltada que policia ainda nao prendeu o pai.Eles deveriam ir na fazenda onde ele trabalho.

| deixe sua opinião |

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui