Procuradoria estadual começa a atender atingidos no ataque em Suzano

0

A Procuradoria-Geral do Estado de São Paulo iniciou hoje (15) um plantão de atendimento para os parentes das vítimas e dos alunos que se feriram no ataque ocorrido quarta-feira (13) na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano. O serviço será prestado até domingo (17), das 9h às 17h, na Diretoria de Ensino – Regional Suzano Suzano, na Avenida Mogi das Cruzes, 175, Parque Suzano.

Segundo o governo, o plantão poderá ser estendido de acordo com a necessidade de atendimento. A procuradora-geral do estado, Lia Porto, estará no local neste sábado (16), a partir das 15h.


Continua depois da publicidade

A Defensoria Pública do Estado também vai manter plantão especializado no local. Para tanto, foi instalado um veículo de atendimento móvel, que ficará na Delegacia Regional de Ensino até domingo (17),  das 10h às 17h. Defensores públicos, além de equipes multidisciplinares com formação em psicologia e serviço social, vão prestar o atendimento.

No local, também vai funcionar o comitê executivo do governo do estado para apoio às famílias. O objetivo inicial é estar à disposição para contato das famílias e cadastramento de seus dados, incluindo suporte de atendimento psicossocial, sem prejuízo de encaminhamentos para atendimento pelos órgãos da rede pública. A Defensoria Pública oferecerá ainda suporte jurídico gratuito para eventuais medidas cabíveis, incluindo a possibilidade de indenizações, acionando a Justiça, ou de negociações com o governo paulista.

-Continua depois da publicidade ©-

Indenização

Na edição desta quinta-feira (14), o Diário Oficial do Estado publicou o decreto do governador João Doria que autoriza o pagamento de indenização às famílias das sete pessoas que morreram dentro da escola (cinco alunos e duas funcionárias).

Ontem Dória disse que o valor da indenização seria de cerca de R$ 100 mil para cada família, mas a publicação informa que o valor de cada indenização será fixado por uma comissão, que estudará caso a caso. Quem aderir à indenização precisará abrir mão do direito de processar o estado.

Edição: Nádia Franco





-Patrocinador-