Fifa dá passo adiante para Copa do Mundo com 48 países no Qatar 2022

Conselho da entidade, reunido em Miami, dá aval a aumento de 16 times em Mundial. Proposta terá que ser aprovada em Congresso com países filiados

0

A Fifa anunciou nesta sexta-feira (15) que o Conselho da federação, reunido em Miami (EUA), aprovou a ampliação da Copa do Mundo de 2022 no Qatar para 48 seleções, 16 a mais do que no atual modelo.

A ideia inicial da entidade era implementar o Mundial com a participação de mais países apenas em 2026, quando o torneio será disputado nos EUA, Canadá e México.


“Na última Copa do Mundo por exemplo, se a Argentina não vencesse o Equador no último jogo das eliminatórias, o Lionel Messi poderia não ter participado da Copa. Se Portugal não tivesse vencido a Suécia na repescagem, Cristiano Ronaldo não teria participado. Temos muitos grandes jogadores na história que não disputaram uma Copa. George Best, Gerge Weah nunca jogaram uma Copa do Mundo porque não tinham seleções fortes. E esses atletas jogavam nos melhores times do mundo”, afirmou Gianni Infantino, presidente da Fifa, em entrevista coletiva realizada após a reunião do Conselho.

A diretiva do aumento de países no Mundial recebeu aprovação de 36  membros do Conselho. Para que a proposta seja aprovada definitivamente, é necessário que ela tenha o aval no Congresso da Fifa, que será em junho, em Paris, com a presença dos 211 países filiados à entidade.

Caso a proposta seja definitivamente aprovada na reunião na França, a Fifa estuda a possibilidade de a Copa ter mais dois países-sede: Omã e Kuwait.

  Após assistência para gol da vitória, Renato enaltece espírito de luta da Chape e foca no duelo contra o Tigre pela Copa do Brasil

“Se o Mundial de 2022 tiver mais países, o Qatar será sede da maioria dos jogos. Algumas partidas serão disputadas em países próximos”, admitiu o dirigente, sem nomear quais seriam os locais escolhidos.

Mundial de Clubes

A Fifa irá manter o atual formato do Mundial de Clubes em 2019 e 2020. No entanto, o Conselho da entidade aprovou a reformulação do torneio, para ampliar a participação para 24 clubes. A primeira edição no novo formato será em 2021. Segundo a entidade, haverá a participação de 8 clubes da Europa, 6 da América do Sul e as demais vagas serão distribuídas pelos outros continentes.

“Me lembro quando criaram a Champions League, diziam ‘que absurdo estão fazendo, isso vai acabar com o futebol local’. E hoje todos dizem que grande ideia foi a criação de um torneio continental”, defendeu Infantino.

“Somos a única organização de esporte no mundo que está reduzindo o número de jogos. Isso sozinho tem um impacto positivo no calendário internacional”, acrescentou.

A Associação dos Clubes Europeus, formada por 232 times, já enviu carta à Uefa se opondo à iniciativa. Entre os signatários da carta estão equipes como Barcelona, Real Madrid, Bayern de Munique, Juventus, PSG e Manchester United. Apesar da forte oposição, a Fifa pretende seguir adiante com a ideia.

“Quanto mais competições tivermos, mais contratos tivermos, mais parceiros tivermos, melhor para o futebol”, afirmou Infantino.






| deixe sua opinião |

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui