No mês de março, Zélia Duncan participa de programa do MIS

Artista estará presente em um bate-papo sobre a carreira, no próximo dia 13, no Museu da Imagem e do Som, na capital

0

Artista estará presente em um bate-papo sobre a carreira, no próximo dia 13, no Museu da Imagem e do Som, na capital

O programa Notas Contemporâneas do Museu da Imagem e do Som (MIS), instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, recebe neste mês a cantora e compositora Zélia Duncan, que tem quase 40 anos de carreira.

Conhecida do grande público, especialmente pelo sucesso da música “Catedral”, a multiartista participa de um bate-papo sobre a trajetória profissional, intermediado por Cacá Machado, enquanto a Banda MIS interpreta seus grandes sucessos no palco.

O público presente também poderá interagir e enviar perguntas para Zélia durante a atividade. O encontro acontece no dia 13 de março, no Auditório MIS (172 lugares). Gratuito, o ingresso deve ser retirado com uma de antecedência na bilheteria do museu.

Zélia Duncan começou a cantar profissionalmente nos anos 1990 e ficou nacionalmente conhecida com a música Catedral. Ao longo de 37 anos de carreira, lançou 13 discos, cinco DVDs solo e ganhou vários prêmios, entre discos de ouro e de platina.

Carreira

A artista participou de trabalhos de grandes nomes da música brasileira, realizou vários projetos importantes, como o CD e o DVD “Eu me transformo em Outras”, fez parte da nova formação do grupo Os Mutantes (2007), gravou o DVD ‘Amigo é casa’, com a cantora Simone (2008), atuou como atriz no espetáculo Totatiando.

A cantora também lançou o CD Tudo Esclarecido (2013), em homenagem ao compositor paulista Itamar Assumpção, o CD ‘Antes do Mundo Acabar’ (2015) com esse CD quase autoral (com sambas de Dona Ivone Lara, Moacyr Luz, Pretinho da Serrinha, Paulinho da Viola, além de parcerias dela com Xande de Pilares, Arlindo Cruz, Ana Costa e Zeca Baleiro) foi a recordista na 27ª edição do Prêmio da Música Brasileira (melhor álbum, melhor cantora na categoria samba, melhor música – Antes do Mundo Acabar).

Entre 2017 e 2018, Zélia Duncan apresentou os shows “O lado bom da solidão” (voz e violão) e “Invento Mais”, no qual interpreta Milton Nascimento, acompanhada apenas pelo grande cellista Jaques Morelenbaum. Com esse disco, a compositora ganhou o prêmio de melhor cantora de MPB na 29ª edição do Prêmio da Música Brasileira (2018). Ela prepara um novo álbum para o primeiro semestre de 2019.

Releituras

O projeto mensal do MIS registra depoimentos de compositores e intérpretes icônicos da música popular brasileira. O programa se divide em duas etapas: a primeira é composta de um longo depoimento realizado em estúdio, que passa a integrar o acervo do MIS; a segunda é ao vivo no palco do auditório do museu, com mediação do músico e historiador Cacá Machado com a Banda MIS, que faz releituras inéditas e exclusivas dos maiores sucessos do homenageado.

A entrada é livre e os fãs dos artistas muito bem-vindos, o público pode participar fazendo perguntas que serão selecionadas pelo museu e, assim, integram o roteiro da noite.


Amazonia 03 de Junho