Estudantes indígenas não conseguem ir para escola devido a estradas esburacadas em MT

0

Estudantes da Aldeia Tadarimana, em Rondonópolis, a 218km de Cuiabá, estão chegando atrasados à escola por causa das condições ruins das estradas, na MT 458 e 459. As estradas estão cheias de buracos e não são pavimentadas.

A aldeia não tem escola e as crianças e os adolescentes pegam o transporte escolar para estudar em Rondonópolis, a 40 km de distância.

Os estudantes pegam o ônibus de manhã e chegam atrasados todos os dias em média de 30 a 40 minutos.

A situação dos estudantes preocupa o cacique da aldeia, que diz que vê o problema piorar ano a ano.

O cacique Bosco Arquimedes Maridokurireu tentou se reunir com representantes do município para buscar uma solução para o problema, mas não obteve êxito.

“Já fomos na prefeitura, pedimos uma audiência com o prefeito para ele explicar como pode nos ajudar, mas infelizmente não estamos tendo sucesso.”, explicou.

O cacique disse que espera ação do poder público, pois se a situação não se resolver, ele teme que os estudantes desistam de estudar.

Estudantes de Nova Galiléia, distrito de Rondonópolis, também estão com dificuldades em ir à escola, pois o transporte escolar está prejudicado por causa das condições das estradas. Os alunos não tiveram aula desde que o ano letivo começou.

Manutenção das estradas

A recuperação da estrada é feita pelo municipio de Rondonópolis, por meio de recursos do Fundo de Transporte e Habitação (Fethab) para manutenção de estradas estaduais não pavimentadas. Pela legislação, os municipios recebem metade do valor arrecadado com ICMS, que é o imposto sobre circulação de mercadoria e serviços que incide pelo oléo diesel.