Casas italianas por até € 2 fazem sucesso entre compradores na Europa

0
(Foto: Shutterstock)

Casas antigas, com estruturas prejudicadas e em vilas muito afastadas dos centros comerciais vêm chamando a atenção de compradores na Itália por conta de uma característica muito atraente: o preço baixíssimo. Vendidas por até € 2 (R$ 8,60), as casas fazem parte de um conjunto de propriedades “abandonadas” por moradores que preferiram viver nas metrópoles, décadas atrás.

O preço, que impressiona quem está acostumado com os valores exorbitantes de imóveis nas grandes cidades, foi estipulado pelas prefeituras em uma iniciativa de revitalização dos vilarejos onde se encontram as casas, visando aumentar a população, que muitas vezes não chega a mil habitantes.

Nomeado “Case a 1 euro” (“casa a um euro”, em português), o projeto surgiu depois que prefeitos de 11 vilas se reuniram para decidir o que fazer com os imóveis da região, que possuem valor histórico, mas são pouco procurados por compradores.

Depois de um estudo sobre as características das casas, as prefeituras decidiram precificar entre € 1 e € 2. O valor baixo é explicado pelas condições dos imóveis, que possuem estrutura prejudicada e deterioração por conta do tempo, além da situação legal – muitas das casas foram abandonadas pelo acúmulo dívidas.

O comprador, portanto, terá que fazer um investimento em reforma, além de assumir as dívidas do imóvel e se adequar à vida em um vilarejo, isto é, longe de movimento e centros comerciais típicos da capital Roma, por exemplo.

Apesar dos problemas evidentes nas casas, a ideia vem interessando muitos compradores em potencial, uma vez que mesmo com o investimento a ser feito em reforma e demais gastos, o valor final ainda fica muito abaixo do mercado – a média de uma casa na região da Toscana, por exemplo, é de
€ 500 mil.



O sucesso do projeto chamou a atenção de prefeitos de outras cidades europeias, além de alguns vilarejos no Japão. A comuna francesa Champ-du-Boult, na região da Normandia, decidiu inclusive estender o projeto à compra de terrenos, precificando o km² da região em apenas € 1.