OAB lança cartilha para orientar vítimas de Brumadinho

0

A Comissão Nacional de Direito Ambiental, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), elaborou uma cartilha com orientações às vítimas da tragédia de Brumadinho (MG) sobre seus direitos e reivindicações. O rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, da Vale, completa hoje (12) 18 dias, com um total de 165 mortes e 155 desaparecimentos.

Com uma redação simples, o documento da OAB explica, na forma de pergunta e resposta, como as vítimas podem agir em diversas situações. A entidade recomenda, por exemplo, que a pessoa registre os bens que tenham sido danificados ou perdidos durante o rompimento da barragem da mina. Nesse caso, aconselha-se que a vítima liste todos os pertences, do modo mais detalhado possível e, em seguida, faça, em um Cartório de Notas, uma Escritura Declaratória contendo a relação desses bens.

A cartilha enfatiza que o funcionário da Vale que tiver se acidentado durante o desastre da barragem, a ponto de ter de ficar afastado do trabalho, pode reclamar seu direito ao plano de saúde pago pela empresa, evitando que o serviço seja cortado. Há, ainda, na cartilha da OAB, informações sobre como proceder quando se tem um familiar desaparecido e outras obrigações da empresa em relação aos trabalhadores atingidos.

  Audiência debate mais recursos para combate ao trabalho escravo

Grupo do CenárioMT no WhatsApp 

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  ENTRAR NO GRUPO

A cartilha recomenda a necessidade de se contratar um advogado para representação e alerta a população a ter cautela diante de pessoas que ofereçam vantagens fora do comum. “Caso seja abordado por pessoas oferecendo serviços de advogados, com promessas de vantagens imediatas e gratuitas, não confie. Procure se informar sobre esse profissional. Infelizmente em situações como a ocorrida muitos aproveitadores se valem de momentos de fragilidade dos familiares para buscar vantagens pessoais. Ocorre, não raras vezes, de tais pessoas sequer serem advogados habilitados”, alerta a OAB, destacando que, ao suspeitar de tentativas de golpe, a pessoa pode registrar denúncia junto à entidade.

Quem necessitar de apoio jurídico e não tiver condições de pagar pelo serviço pode se dirigir ao posto da Defensoria Pública da União (DPU), instalado em Brumadinho, na Avenida Vigilato Braga, s/n – centro, ao lado do ponto de apoio. A equipe está disponível para atendimento de segunda-feira a sexta-feira, em dois turnos: das 9h às 12h e das 13h às 17h.

Edição: Fernando Fraga