Aulas são suspensas por adesão de professores em Mato Grosso

Governo de MT parcelou o 13º salário dos servidores , parcelou salários; instituiu um decreto de calamidade que suspende o direito às leis de carreira e a correção da inflação nos salários (RGA). Servidores farão protesto às 14h desta terça-feira.

0
Paralisação de servidores em Rondonópolis — Foto: Emerson Sanchez/TV Centro América

Em Lucas  do Rio Verde duas escolas da Rede Estadual aderem à paralisação unificada de 24 horas

 

Os servidores e professores da rede estadual começaram uma paralisação nesta terça-feira (12) em Mato Grosso. Segundo o Fórum Sindical, a paralisação será por 24 horas em protesto aos atrasos e parcelamento de salário dos servidores por parte do governo estadual.


O governo ainda não se posicionou sobre a paralisação desta terça-feira. A paralisação foi definida em assembleia.

Mato Grosso tem 30 categorias de servidores. O Fórum Sindical afirma que a paralisação será feita por todas as categorias. Uma delas é o da educação.

Segundo relatou ao site G1 na manhã de hoje, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), Valdeir Pereira, disse que as aulas foram suspensas nas unidades nesta terça-feira. O ano letivo na rede estadual foi retomado na segunda-feira (12).

“Estamos reivindicando o cumprimento da constituição e tratamento igualitário entre os poderes. Sabendo que o estado tem condição de pagar 100% a folha, o governo preferiu a opção de penalizar os servidores”, criticou Oscarlino Alves, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde de Mato Grosso (SISMA/MT).

“A Revisão Geral Anual (RGA) está suspensa e nosso 13º está parcelado, enquanto isso o duodécimo dos poderes está em dia. Esse é o primeiro indicador que a coisa está errada”, comentou o presidente do SISMA.

Os servidores planejam fazer um protesto às 14h desta terça-feira na frente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), no Centro Político Administrativo, em Cuiabá.

Em Lucas: duas escolas da Rede Estadual aderem à paralisação unificada de 24 horas


| deixe sua opinião |

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui