Mais de 5.900 migrantes usaram rota marítima para entrar na UE

0

Ao longo de janeiro, 5.989 migrantes e refugiados entraram na Europa por via marítima, segundo a Organização Internacional para Migrações (OIM). A agência, vinculada à Organização das Nações Unidas (ONU), destaca haver um recuo nos registros, já que, no mesmo período do ano passado, 6.550 pessoas acessavam o continente em semelhantes condições.

De acordo com o levantamento da entidade, o Mar Mediterrâneo mantém-se como a rota migratória mais letal do mundo, já que dois terços das mortes ocorreram no local. Foi em suas águas, que, de um lado, banham terras do Marrocos, da Tunísia, Argélia, Líbia e Egito, e, de outro, a de países como Espanha, Itália, França e Grécia, que 208 pessoas perderam a vida, no primeiro mês deste ano.

A OIM lembra ainda que, conforme balanço do Projeto de Migrantes Desaparecidos (PMD), em todo o mundo 308 refugiados e migrantes morreram enquanto cruzavam territórios. Na avaliação da entidade, tem contribuído para o aumento das mortes no mar uma maior perversidade por parte dos contrabandistas de pessoas, como forçá-las a navegar em barcos superlotados e a desembarcar em águas profundas.

Um dos naufrágios mais recentes, citado pela OIM, ocorreu no dia 28 de janeiro, nas Caraíbas, perto da fronteira marítima entre a Colômbia e o Panamá. Na ocasião, 24 pessoas que tentavam completar a travessia morreram.

* Com informações da ONU News

Edição: Fernando Fraga