Estagiários conhecem o funcionamento do IML da capital

0

Estagiários que ingressaram nos anos de 2018 e 2019 na Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) realizaram uma visita guiada à Diretoria Metropolitana de Medicina Legal, nesta sexta-feira (01.02).

A visita partiu do interesse dos próprios estudantes em conhecer a estrutura e o funcionamento da unidade relacionada às atividades de perícias criminais em pessoas vivas e mortas.

A DMML foi apresentada pela gerente de necropsia, Luciana Machado da Silva, que explicou sobre os procedimentos e protocolos adotados pela unidade, desde o acionamento feito pelas autoridades policiais, o recolhimento dos corpos, a realização das necropsias e identificações técnicas, e a liberação do corpo aos familiares.

Também foi explicado aos estagiários o funcionamento do setor de antropologia forense, responsável pela investigação da causa mortis em corpos em estado avançado de decomposição. E os tipos de exames realizados em pessoas vivas, envolvendo os exames de lesão corporal, violência sexual, psiquiatria forense e constatação de embriaguez.

Luciana falou ainda, sobre os três métodos de identificação humana, adotados pela Politec, e preconizados pela Interpol. São eles: a papiloscopia (impressões digitais), odontologia legal (arcada dentária) e DNA (identificação genética).

“A nossa missão é contribuir com o conhecimento científico para o auxílio à Justiça. Todos os nossos procedimentos devem seguir um padrão, de maneira que as informações estejam preservadas e de fácil consulta pelos servidores. Na maioria das vezes são procedimentos demorados, pois requerem muitos cuidados e detalhes em busca da causa da morte, como é o caso do setor de antropologia forense em que a causa da morte deve ser definida a partir a análise de corpos em fase de esqueletização”, pontuou Luciana.



Participaram da visita quinze estagiários lotados na Diretoria Metropolitana de Identificação Técnica. Em sua maioria são estudantes do curso de Direito.