PM intensifica busca de desaparecidos na zona rural de Brumadinho

0

A Polícia Militar de Minas Gerais intensificou, nesta sexta-feira (1º), as buscas por desaparecidos na zona rural de Brumadinho, em decorrência do rompimento da barragem de rejeitos da Mina Córrego do Feijão, há uma semana-feira.

A iniciativa foi em atendimento à solicitação da população de Brumadinho. A ação de varredura conta com 400 policiais de 16 pelotões envolvidos nas buscas.


O Comando de Operações em Áreas de Mananciais e Florestas (Comaf) é responsável pela ação. Segundo a PM, além dos policiais do Comaf, participam das operações equipes especializadas em patrulhamento rural e a tropa da academia. “Todos têm colaborado para fazer a varredura.”

A nota divulgada pelo governo do estado de Minas Gerais informa ainda que o posto de comando das operações em Brumadinho recebeu a hoje a visita do comandante militar do Leste, general Walter Souza Braga Netto.

Braga Nertto foi recepcionado pelo secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, pelo chefe do Gabinete Militar e coordenador de Defesa Civil do estado de Minas Gerais, coronel Evandro Geraldo Ferreira Borges, e pelo comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Edgar Estevão da Silva.

  Sobrevivente do incêndio no Flamengo é retirado da ventilação mecânica

As informações sobre as atividades que vêm sendo desenvolvidas no posto de comando foram repassadas ao comandante militar pelo coordenador adjunto de Defesa Civil, tenente-coronel Flávio Godinho. Essa unidade reúne representantes de várias agências envolvidas nos trabalhos de busca e resgate e tem o objetivo de coordenar e integrar as ações e operações na área dentro da metodologia Sistema de Comando de Operações (SCO).

Segundo Braga Netto, o trabalho integrado entre as agências evidencia a importância do evento para o governo federal. “A presença de uma autoridade desse quilate evidencia que todos os esforços da União estão disponíveis para Minas Gerais, dentro da sua competência, para coordenar trabalhos de busca e salvamento na gestão integral do desastre”, afirmou o general.

Edição: Nádia Franco