Bitrem com madeira irregular é apreendido pela PRF

0

Na manhã desta terça-feria (22), por volta das 08h10, no Km 543 da BR 316, no município de Caxias/MA, policiais rodoviários federais abordaram o caminhão Volvo/FH12 420, o qual estava era conduzido por um homem de 40 anos que informou que a carga transportada era de madeira serrada proveniente do Pará e tinha como destino a cidade de Juazeiro/BA. Solicitada a documentação da carga, foi apresentada a Guia Florestal GF3i/PA, correspondente ao transporte de 13,1510 m³ do produto CAIBRO CURTO da espécie andiroba (nome científico: Carapa guianensis Aubl.) e a documentação fiscal referente à carga. Também apresentou a documentação fiscal correspondente ao transporte de 25,0010m³ de caibro curto de Andiroba. Indagado sobre a Guia Florestal, documento de porte obrigatório, dos outros 25,0010m³ o mesmo informou que não tinha conhecimento. Perguntado sobre a carga, o motorista respondeu que esta foi a primeira viagem que fez para o proprietário do veículo, que foi também a primeira vez que transportou madeira serrada. E que estava no posto de gasolina na cidade de Ananindeua/PA e recebeu o veículo do proprietário já carregado, que este lhe entregou as notas fiscais e a GF3, que não sabe dizer quanto a questão da madeira não estar condizente com estes documentos, pois nunca transportou este tipo de carga. Posteriormente, o proprietário da carga, ligou para o Posto da PRF e informou que era o proprietário da carga e que havia esquecido de enviar a outra GF3 correspondente aos 25,0010m³ de CAIBRO CURTO, e a enviou pelo aplicativo WhatsApp para o telefone da PRF. Feita a verificação da carga constatou-se que as peças eram do produto CAIBRO com comprimentos variando entre 4m e 6m, e não do produto CAIBRO CURTO conforme constava na Guia Florestal que o autoriza a realizar o transporte da madeira nativa.

Devido a não portar a Guia Florestal – GF correspondente aos 25,0010m³ da carga e estar transportando o produto CAIBRO, não descrito na licença ambiental, o mesmo foi conduzido para o 2° Distrito de Polícia Civil de Caxias e irá responder pelo crime ambiental. O emissor e o destinatário da carga também responderão pelo crime de acordo com sua culpabilidade. A carga será encaminhada para a Secretaria de meio Ambiente de Caxias – SEMA.


Continua depois da publicidade

 

 

-Continua depois da publicidade ©-




-Patrocinador-