Intercorrências cardiológicas serão tema de capacitação para equipes da urgência e emergência em Cuiabá

0

O treinamento acontecerá nos dias 24 e 25 de janeiro no auditório da Secretaria de Saúde

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realizará uma capacitação sobre as principais intercorrências cardiológicas que acometem pacientes atendidos no Sistema Único de Saúde (SUS) em Cuiabá. O treinamento acontecerá nos dias 24 e 25 de janeiro, no auditório da SMS e abordará desde o acolhimento à correta execução de exames de eletrocardiograma – ECG, à identificação de arritmia cardíaca ao Infarto Agudo do Miocárdio (IAM).

De acordo com o secretário adjunto de Assistência em Saúde, Dr. Luiz Gustavo Raboni, o treinamento tem como objetivo ampliar o conhecimento técnico e teórico dos servidores que atuam nas unidades de urgência e emergência, visando, sobretudo, a prestação de assistências em saúde cada vez mais ágeis e qualificadas à população.


Continua depois da publicidade

“Doenças cardiológicas sempre sinalizam alertas importantes. E quando se trata de atendimentos de urgência e emergência nessa modalidade, o risco de complicação e rápida evolução para morte são ainda maiores. Por esta razão, estamos mobilizando esta capacitação para ampliarmos o conhecimento dos nossos servidores, com vistas em acolhimentos cada vez mais humanizados, céleres e com ainda mais qualidade técnica”, frisou Raboni.

O coordenador especial de Rede Assistencial Geral da Secretaria de Saúde, Kennedy Marques que está à frente da organização, explicou que embora a capacitação tenha como foco principal os enfermeiros e técnicos de enfermagem da Rede de Atenção Secundária, também serão disponibilizadas vagas para os servidores da Atenção Primária, para que as Atenções se conversem.

-Continua depois da publicidade ©-

“Sabendo da gravidade das doenças cardíacas, especialmente das complicações que culminam na internação nas unidades de urgência em emergência, nosso foco maior é a capacitação dos enfermeiros e técnicos de enfermagem da Atenção Secundária. Entretanto, optamos por inserir também a mesma categoria de profissionais que atuam na Atenção Básica para que ambos se conversem, uma vez que os sintomas dessas doenças por vezes podem ser silenciosos ou estar mascarados em outros sintomas. Desconhecendo a gravidade, o paciente pode vir a buscar os serviços em unidades básicas de Saúde e, nestes casos precisamos estar com os procedimentos de acolhimento alinhados para diminuirmos os riscos de morte deste paciente”, finalizou.





-Patrocinador-