Caso a Assembleia Legislativa aprove o projeto do “novo Fethab”, que eleva para 200% a Unidade de Padrão Fiscal do Estado (UPF), o produtor rural terá que desembolsar R$ 277,98, para cada tonelada de algodão produzida em Mato Grosso e, com isso, contribuir com o fundo.

Cada UPF equivale a R$ 138,99 neste mês de janeiro, sendo que atualmente os produtores de algodão pagam apenas 10% do valor da UPF por tonelada, o que representa um valor de R$ 14,21, ou seja, com a nova contribuição a taxa vai aumentar 1.856,28%.


Os produtores resistem à proposta do Governo Mauro e se queixam da falta de diálogo da atual administração do Estado.

Em Mato Grosso, o setor já recebem incentivo fiscal pelo Proalmat, instituído por Dante de Oliveira (já falecido), prorrogado por Blairo Maggi (PP) e Pedro Taques (PSDB). De lá pra cá, o Estado se tornou campeão nacional após saltar de 2% para mais de 60% da produção nacional de pluma.

 

Novo Fethab inclui exportações e eleva arrecadação de MT em mais de R$ 540 mi

  Brasil aumenta produtividade de grãos na safra 2018/2019

| deixe sua opinião |

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui