Casos de mortes por homofobia aumentaram 66% em Mato Grosso

0

Os homicídios de vítimas LGBTs aumentaram 66% entre os anos de 2016 a 2018. Os dados são do Grupo Estadual de Combate aos Crimes de Homofobia (GECCH) da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT).

 

Somente em 2018, foram 15 crimes motivados por homofobia, enquanto em 2016 foram 7 crimes registrados. De 2017 para 2018 houve o aumento de um caso.

 

Em 15 de dezembro de 2018, o corpo do professor universitário Francisco Moacir Pinheiro Garcia, 53, foi encontrado às margens de uma rodovia entre os municípios de Claudia (620km ao norte de Cuiabá) e União do Sul (719 km). A vítima teria sido morta com um tiro de calibre 22.

 

Três suspeitos de envolvimento no crime foram identificados e presos. A detenção mais recente foi de um menor de 16 anos, na manhã desta segunda-feira (7). Ele confessou a participação no crime e apontou que Rodrigo Pozzer, 32, e Victor Fernando de Oliveira, 20, teriam sido os mandantes.

 

Dos casos registrados em 2018, 9 prisões foram decretadas, o que representa a solução em 40% dos casos. As ocorrências de crimes contra a honra com motivação homofóbica também cresceram. De 2016 para 2018, o aumento foi de 58%. Saindo de 69 em 2016 para 114 em 2017.

 

Desde 2009 o estado conta com a motivação homofobia nos boletins de ocorrência. Em 2010 foi implantado o campo nome social para travestis e transexuais e, em 2016, foi implementado o campo orientação sexual.