Equipe de Mauro ainda não tem previsão de acerto do 13º

0

O exercício de paciência do servidor público estadual de Mato Grosso não acabou com o fim do mandato de Pedro Taques (PSDB). Pelo menos num primeiro momento da era Mendes, as incertezas farão parte da rotina quando o assunto for pagamento.

 

O décimo terceiro pendente de 2018 dos trabalhadores que fazem aniversário em novembro e dezembro, uma soma total próxima a R$ 120 milhões, não possui previsão alguma para ser equacionado.

 

O novo governador, Mauro Mendes (DEM), já tem que bancar nos próximos dias o salário referente ao trabalhado de dezembro do quadro geral e na nova Secretaria de Fazenda não se sabe como.

 

O clima é de total silêncio no setor responsável pelos pagamentos, enquanto que líderes representativos dos trabalhadores já começaram a falar em RGA (Revisão Geral Anual) para reajustar os ganhos de 2019.

 

 

Mauro Mendes confirma nomes na Segurança Pública