Equipe de Bolsonaro encontra Movimento ‘incomum’ de recursos no fim da gestão Temer

Ministro-chefe da Casa Civil disse que houve 'alto volume' de exonerações, indicações e transferências no primeiro escalão do governo em dezembro

0

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, declarou nesta quinta-feira (3) que a equipe do presidente Jair Bolsonaro detectou o que chamou de “alto volume” de nomeações, exonerações ou transferências de servidores nos ministérios, assim como movimentação financeira “incomum” nos últimos dias do governo de Michel Temer.

“Nós fomos além, verificando que houve uma movimentação incomum de exonerações e indicações nos últimos 30 dias. Assim como também houve uma movimentação incomum de recursos destinados a ministérios, também nos últimos 30 dias”, afirmou em entrevista após uma reunião do presidente com todos os ministros.

Onyx disse que Bolsonaro determinou aos ministros que revisem os atos administrativos de cada ministério no mês de dezembro.

“Foi solicitado que todos os ministros fizessem a revisão, pasta por pasta, quer de eventuais nomeações, exonerações ou transferências e também sobre a movimentação financeira dos últimos 30 dias, particularmente dos últimos 15 dias, que pelo alto volume causou estranheza.”

 

‘Despetização’

Bolsonaro deu autorização a todos os ministros para exonerarem todos servidores comissionados que não tenham “afinação com o projeto” do atual presidente. Ele ainda usou o termo “despetização” para descrever o processo.



“Não há nenhum sentido em nós termos um governo com o perfil que termos com pessoas que defendem outra lógica, outro sistema político e outra organização da sociedade. Nós precisamos e estamos tendo a coragem de fazer o que talvez tenha faltado ao governo que terminou no dia 31.”

O próprio Onyx demitiu 320 servidores que ocupavam cargos de confiança na Casa Civil, na quarta-feira (2).

Imóveis da União

O presidente quer ter prontos até terça-feira da semana que vem os primeiros projetos e medidas para o mês de janeiro. Um exemplo citado por Onyx diz respeito a um levantamento de imóveis da União.

“As primeiras informações são de que a União tem próximo de 700 mil imóveis. Vocês imaginem o que isso significa em termos do custo da manutenção.”

O governo também pretende revisar todos os contratos de locação, já que, segundo Onyx, não faz sentido que com 700 mil imóveis em todo o país, a administração federal ainda precise locar espaços.

“Vamos revisar todos os conselhos que existem, porque nos últimos anos eles contam-se às casas das centenas e todos eles com um grande número de pessoas, o que traz custos para a administração pública”, acrescentou.