João Azevêdo toma posse como governador da Paraíba

0

O governador da Paraíba, João Azevêdo, tomou posse hoje (1º) e disse esperar que no relacionamento com o governo federal o estado receba, assim como qualquer unidade da federação, o tratamento republicano que merece e precisa ter. Azevedo disse que é de um partido de oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro e que há diferença entre as relações política e institucional. O governador foi eleito no primeiro turno, com 1.119.758, que representam 58,18% dos votos válidos.

“Espero que, efetivamente, o estado possa ter o direito a receber os recursos a que tem direito, os empréstimos a que ele tenha direito. Afinal, de contas fizemos o dever de casa. Somos um dos seis estados do Brasil que vamos ter condição de fazer a transição com as contas em dia, o pagamento de servidores e de fornecedores em dia e com algum dinheiro em caixa ainda para começar o ano. Acho que para um estado que fez um esforço tão grande como esse, merece ser tratado, claro, dentro das condições de republicanidade que são exigidas”, disse ao chegar para a cerimônia de posse.

O novo chefe do executivo paraibano disse que não tinha intenção de se candidatar ao Palácio da Redenção, mas na medida em que começou a participar de um projeto político no seu estado e isso se consolidou a partir de 2017. “Para mim é um momento de grande esperança. É uma certeza de que a Paraíba vai poder sim continuar avançando e tudo que conquistamos ao longo dos últimos oito anos. Nós vamos aprimorar aquilo que precisa ser feito, qualificar os serviços e avançar em muitos outros eixos”, disse.

Primeiras ações

Entre as primeiras medidas como chefe do executivo paraibano, Azevêdo amanhã (2) dará posse aos secretários e marcou a primeira reunião com toda a equipe. “Estabeleceremos as metas para cada secretaria. Algumas medidas começarão a ser tomadas já com vistas à reestruturação do próprio estado. Alguns setores passarão por reestruturação e estabelecimento de metas para cada secretaria para que possamos manter a avaliação dentro da governança eletrônica que estamos implementando para o estado”.

Sobre a possibilidade de adotar um projeto para os primeiros cem dias de governo, Azevêdo disse que esta é uma marca criada em estruturas de governo, mas que a busca dele é para os quatro anos de administração. “Nós vamos sim marcar, provavelmente os cem dias, mas as metas estabelecidas serão trimestrais para cada secretaria e nós faremos o acompanhamento pontual de cada projeto que estiver em execução dentro do estado”, informou.

Ato religioso

Pela manhã, João Azevêdo e Lígia Feliciano participaram de uma celebração ecumênica concelebrada pelo padre da paróquia Santo Antônio de Lisboa, Egídio de Carvalho; pelo pastor da Primeira Igreja Batista, Estevam Fernandes; pela ialorixá, Iyá Lúcia Omidewá; e pelo presidente da Federação Espírita da Paraíba, Marco Lima.

Edição: Fábio Massalli