Queda de helicóptero mata governadora e senador no México

Governadora de Puebla, Martha Erika Alonso, e seu marido, o ex-governador e atual senador Rafael Moreno Valle, iam para Cidade do México.

0

A governadora do estado de Puebla, Martha Erika Alonso, e o seu marido, o ex-governador e atual senador Rafael Moreno Valle, morreram na queda de um helicóptero na tarde de segunda-feira (24). As autoridades investigam as causas do acidente.

O helicóptero caiu às 14h40 (18h40, no horário de Brasília), cerca de 10 minutos depois de decolar do heliporto El Triángulo de las Almas, em Puebla, com destino à Cidade do México. Os destroços foram localizados em um milharal no município de Santa María Coronango.


Continua depois da publicidade-pix


“Quando a aeronave se encontrava em voo, ela sofreu uma aparente falha ainda não especificada, o que causou sua queda”, declarou o secretário de Segurança Pública e Proteção Cidadã do México, Alfonso Durazo.

As outras vítimas são os dois pilotos: o capitão Roberto Pope e o primeiro oficial Marco Antonio Pavera. O quinto ocupante da aeronave não foi identificado.

-Continua depois da publicidade ©-

O helicóptero, um modelo Agusta 109, era de propriedade da empresa Serviços Aéreos do Planalto e contava com permissão vigente.

Investigação delicada

Logo após o acidente, autoridades federais e estaduais disseram ter aberto investigações sobre as causas. A questão é sensível, porque o partido Morena, do presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, havia contestado em julho a validade da eleição de Alonso.

O governador do estado tomou posse havia 10 dias depois que as autoridades eleitorais rejeitaram o recurso do Morena.

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, lamentou o ocorrido e se comprometeu a investigar as causas da queda da aeronave.

“Como autoridade, assumo o compromisso de investigar as causas; dizer a verdade sobre o acontecido e atuar em consequência”, escreveu o presidente em mensagem no Twitter.

O porta-voz do Estado de Puebla, Maximiliano Cortázar, exigiu uma investigação “transparente, imparcial e independente” para o caso, de acordo com a Associated Press.

O secretário de Segurança Pública prometeu uma investigação ampla e transparente e anunciou que Exército, a Polícia Federal, o Ministério Público, autoridades e peritos da Secretaria de Comunicações e Transportes se deslocaram imediatamente para o local do acidente.





-Patrocinador-