Justiça japonesa prorroga por mais 10 dias a prisão de Ghosn

0

O Tribunal Distrital de Tóquio acatou hoje (23) o pedido da Procuradoria de Justiça de prorrogar por mais dez dias a prisão do executivo franco-brasileiro Carlos Ghosn, ex-presidente da Nissan Motors. O empresário permanecerá sob custódia até 1º de janeiro. Porém, ele pode permanecer sob custódia até 11 de janeiro.

Na sexta-feira (21) houve uma nova ordem de prisão contra Ghosn. Além da denúncia de fraude, ele é alvo de acusação de transferência de recursos para investimentos privados, no valor de US$ 14 milhões para uma subsidiária da montadora dirigida por um amigo na Arábia Saudita.

De acordo com a defesa de Ghosn, o saudita é uma figura rica e conhecida, que já havia ajudado a resolver problemas da Nissan no país do Oriente Médio. Segundo Ghosn, o saudita é próximo da família real e também trabalhou como lobista da Nissan.

*Com informações da NHK, emissora pública de televisão do Japão.

Edição: