O presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM), revelou que vai realizar cortes dos cargos de comissionados na Casa de Leis. Com isso, ele acompanha os cortes propostos pelo governador eleito Mauro Mendes (DEM), que anunciou que pretende reduzir em 3 mil o número de servidores comissionados.

Segundo o democrata, os problemas com duodécimo devem continuar nos próximos anos. Por isso, é preciso os cortes nos custos do legislativo para auxiliar no caixa, e assim, dar equilíbrio nas contas.

Botelho também lembrou que a PEC do Teto de Gastos congela o repasse constitucional aos poderes constituídos. “Da parte da Assembleia, nem estamos mais contando com isso (duodécimo atrasados). Podemos abrir mão disso e tocar daqui pra frente. Nós temos a possibilidade de congelar o nosso duodécimo, a proposta que está aí é de congelar, existe ainda um estudo que estamos fazendo para Assembleia dar mais contribuição, diminuindo mais o custo da Assembleia. Isso nós estamos fazendo com alguns cortes que está previsto”, assinalou.

Botelho conta que os poderes estavam amparados na PEC do Teto para receberem o duodécimo atrasado, mas previsão é que não exista excesso de arrecadação como detalha o projeto. “Essa questão dos atrasados já foi pactuado na PEC do Teto que colocou que do excedente 20% ficaria para pagar os poderes, do excesso de arrecadação. O governador Mauro Mendes pediu para fazer uma mudança na LOA e colocar uma receita corrente líquida maior que tenha condição de ser atendida, então quer dizer não vai ter excesso, porque ele colocou um limite que vai ser a meta do Estado, aumentou quase R$ 2 bilhões o que o governador Pedro Taques tinha proposto”, revelou.

Com isso, a proposta do legislativo, de acordo com o deputado, é reduzir vários custos. Entre eles está o fim da cota de passagem aérea, deixando exclusivamente o beneficio apenas para o deputado.

Além disso, ele propõe diminuir custos com avião, pois destaca que a maioria dos deputados é da baixada cuiabana e do médio norte. Eles não teriam a necessidade de sobrevoarem constantemente.



“Então não tem tanta necessidade de avião, vamos reduzir bastante os gastos com avião. Também estão propondo a redução com combustível e redução com a parte de informática. Todo esse custo está programando e eu acho que é uma contribuição imensa pata ajudar o executivo”.

Ao acompanhar a leitura da redução do custeio da máquina proposto por Mendes, Botelho também avalia reduzir cargos. “Nós também estamos estudando diminuir cargos comissionados dentro da Assembleia, vai ter também cortes deles. É um aperto para todos, então estamos prontos para fazer”.