River vence o Boca e conquista o tetra da Libertadores

Após 15 dias de ansiedade e sede em outro continente, Millonarios vencem o maior Superclássico da história no Santiago Bernabéu com alta dose de drama e garantem a última vaga do Mundial de Clubes

0

O apaixonado por futebol que esperou até este domingo pela final mais longa da história da Libertadores não se arrependeu. Do outro lado do Oceano Atlântico, mais precisamente no Santiago Bernabéu, River Plate e Boca Juniors fizeram um jogaço, com doses cavalares de drama e final feliz para os Millonarios, campeões na prorrogação com a vitória de virada por 3 a 1.

Benedetto abriu o placar para os xeneizes, mas Pratto, Quintero e Pity Martínez definiram este 9 de dezembro como o grande dia da história do River. E pode vir mais por aí com o Mundial de Clubes batendo à porta..

A QUARTA TAÇA

O River se igualou ao Estudiantes e encurtou a distância para o arquirrival Boca, que permaneceu com seis títulos – o Independiente é o maior campeão, com sete. O Peñarol, com cinco, também faz parte do top-5 entre os grandes vencedores da Libertadores.

90 MINUTOS

O primeiro tempo começou pegado, com o medo de perder estampado no rosto de torcedores e levando o clima ao campo. Não aconteceu nada de tão extraordinário até que Nández encontrou Benedetto em linda enfiada aos 44 minutos. O iluminado atacante pôs o Boca na frente numa bela jogada. O River voltou melhor e chegou ao empate com Pratto, aos 22, depois de uma linda tabela entre Nacho Fernández e Palacios. Era quem mais mostrava gana para vencer.

PRORROGAÇÃO

Veio o tempo extra e com ele o lance mais determinante. Logo no primeiro minuto, Barrios recebeu o segundo amarelo e vermelho por uma entrada de força excessiva em Palacios. O River avançou, o Boca recuou, procurando passar o tempo. Mas não estava nos planos de outro colombiano, Quintero. Ele acertou um lindo chute da entrada da área aos três do segundo tempo e colocou os Millonarios na frente. Quando estava com nove (Gago saiu lesionado), o Boca ainda teve a chance de empate com Jara, que acertou o pé da trave, mas Pity Martínez fechou o caixão no lance seguinte, com o gol escancarado diante do desespero do goleiro Andrada.

E TEVE FINAL!

A final da Libertadores na Europa foi uma derrota da Argentina e da Conmebol, mas uma vitória do futebol. Mesmo a 10 mil quilômetros de Buenos Aires, e sob o frio de 10 graus no outono espanhol, o maior River x Boca teve golaços no campo, paz na rua e festa nas arquibancadas.