Não existe alinhamento automático com partidos, diz Bolsonaro

0

Após passar a tarde reunido com as bancadas do MDB e do PRB, em Brasília, o presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou que teve uma “conversa proveitosa” e que o apoio das legendas virá a partir da identidade em torno de propostas, sem “alinhamento automático”.

“Não existe um alinhamento automático de nenhum partido, não é isso que nós buscamos. Nós buscamos é o entendimento. É o que eu tenho dito pra eles, eu posso não saber a fórmula do sucesso, mas a do fracasso é essa que foi usada até o momento, distribuir ministérios e bancos para partidos políticos. Essa fórmula não deu certo”, afirmou.


Bolsonaro disse que colocará os ministérios à disposição dos parlamentares para o atendimento de demandas.

“Nós temos falado aqui, nessas duas reuniões, que os ministérios estão abertos aos parlamentares. Nenhum pedido deles, que não seja legal e possível de ser atendido, deixará de ser atendido”, disse.

O presidente eleito também defendeu uma rápida liberação de emendas parlamentares e garantiu que não fará “jogo de empurra” para prejudicar os deputados.

  Bolsonaro atribui bons resultados em pesquisa à escolha de ministros

Bolsonaro também prometeu realizar reuniões prévias com integrantes do Legislativo antes de propor qualquer projeto de lei ou proposta ao Congresso Nacional. Segundo ele, isso seria uma inovação na relação entre governo e Parlamento.

“Nós vamos inovar, antes de mandar qualquer projeto para a Câmara, nós vamos ouvir, no Planalto, as lideranças, vamos debater com o quadro técnico deles para, quando a proposta for para a Câmara já estar bastante debatida”, afirmou.

Edição: Denise Griesinger